terça-feira, 31 de dezembro de 2013

YOUTROUXA 0062 : "Mulheres cearenses não querem sair do bolsa-família por emprego"

Noto nos últimos dias que o arsenal de mentiras da direita está fraco. Estão tendo que revirar o lixo de 2009 para achar alguma coisa que sirva para atirar nos alvos de sempre: Bolsa-Família, Lula, Dilma, PT, etc. A da vez foi uma carta de um indignado relatando uma estória que, em suma, diz que o Sinditêxtil do Ceará junto como  SENAI, numa parceria com o governo petista do estado, teria treinado 500 mulheres participantes do Bolsa Família para trabalharem na indústria têxtil. Estas teriam, ao final do curso, recusado empregos com carteira assinada porque teriam que deixar o benefício do Bolsa-Família para trabalharem.

Logo de cara o erro: O governo do Ceará em 2009, data onde começou a circular essa farsa, era do PSB. Também parece incrível que uma pessoa se recuse a ganhar o salário-mínimo e benefícios como auxílio-alimentação, plano de saúde e outros para ficar em casa ganhando 70 reais do bolsa família.

A única coisa crível no texto é o esforço do governo federal em promover parcerias para treinamento de pessoas beneficiadas pelo Bolsa Família para que tenham condições de inserção no mercado de trabalho. Graças a isso mais de 1,6 milhão de famílias beneficiadas já deixaram o programa. http://oglobo.globo.com/pais/bolsa-familia-mais-de-16-milhao-de-casas-abriram-mao-do-beneficio-8312947

Segue o desbaratamento da mentira pelo site Quatro Cantos, e abaixo o texto original da farsa. Meu amigo, minha amiga, não sejam trouxas de repassar essas bobagens sem ler. Queima vossos filmes!

http://www.quatrocantos.com/lendas/407_bolsa_familia_costureiras_ceara.htm

A mentira:

Mulheres cearenses !
> Como o setor têxtil é de vital importância para a economia do Ceará, a
> demanda por mão de obra na indústria têxtil é imensa e precisa ser
> constantemente formada e preparada.
> Diante disso, o Sinditêxtil fechou um acordo com o Governo do Estado, para
> coordenar um curso de formação de costureiras. O governo exigiu que o curso
> devesse atender a um grupo de pelo menos 400 mulheres. Como o governador é
> do PT, exigiu que as mulheres fossem escolhidas dentre as que participam do
> programa Bolsa Família. O importante acordo foi fechado dentro das seguintes
> atribuições: O Governo entrou com o recurso; O SENAI com a formação das
> costureiras, através de um curso de 120 horas/aula e O Sinditêxtil, com o
> compromisso de enviar o cadastro das formadas às inúmeras indústrias do
> setor, que dariam emprego às novas costureiras. Pela carência de mão obra, a
> idéia não poderia ser melhor. Pois bem. O curso foi concluído recentemente
> e, com isso, os cadastros das costureiras formadas foram enviados para as
> empresas, que se prontificaram em fazer as contratações. E foi nessa hora
> que a porca torceu o rabo, gente. Anotem aí o número de contratações: ZERO!
> Entenderam bem? ZERO!
> Sabe qual o motivo? Simples, embora triste e muito lamentável, como afirma
> com dó, o diretor do Sinditêxtil: "Todas as costureiras, por estarem
> incluídas no Bolsa Família, se negaram a trabalhar com carteira assinada.
> Para todas as 500 costureirasque fizeram o curso, o Bolsa Família é um
> benefício que não pode ser perdido". É para sempre. Nenhuma admite perder o
> subsídio
>
> SEM NEGÓCIO: De forma uníssona, a condição imposta pelas 400 formadas é de
> que não se negocia a perda do Bolsa Família. Para trabalhar como costureira,
> só recebendo por fora, na informalidade. Como as empresas se negaram,
> nenhuma costureira foi aproveitada.
>
> Casos idênticos do mesmo horror estão se multiplicando em vários setores.
> É a prova cabal de que ser um VAGABUNDO dá lucro neste país, o errado agora
> é trabalhar.
> QUEM ESTÁ CRIANDO ELEITORES DE CABRESTO, COMPRADOS ATÉ EM SUA DIGNIDADE,
> RECUSANDO-SE A TRABALHAR PELO SEU SUSTENTO? ADVINHE QUEM PAGA O PATO, TODO
> MÊS DESCONTANDO 27,5 % DE I.R ?Sou EU o grande idiota dessa história, que
> sou obrigado a trabalhar para pagar os impostos que esses VAGABUNDOS que o
> governo FICHOU e agora não consegue DESPEDIR.

FANOAPÁ 0053 : Direita diz que Roosevelt foi "liberal" para atacar Lula

Como os "letrados" da direita enxergam Lula
A direita mais hidrófoba, aquela que vive chamando os outros de anta e dizendo que só o liberalismo econômico salva, parece não entender nem do dócil animal brasileiro, que é inteligentíssimo, e muito menos de economia, ofuscados pelo fetiche do mercado.

A última deles foi fazer gracinha com uma declaração de Lula na posse do Sebrae em 4/2/2009 (essas coisas são regurgitadas de tempos em tempos por eles) onde entre coisas certas errou ao dizer que morreram 6 milhões de pessoas na Segunda Guerra Mundial. Isso foi o suficiente para detonarem todo o resto da declaração sobre economia, nos primeiros dias da grande crise de 2008, quando outra declaração de Lula também causou "frisson" na direita: "A crise no Brasil será uma marolinha".

Lula corretamente disse que a crise norte-americana de 1929, que contaminou o mundo mesmo não-globalizado da época pela falência de empresas, redução de importações e investimentos e calotes, só se encerrou na Segunda Guerra Mundial. De fato, a política do New Deal do presidente Franklin Delano Roosevelt, adotando os princípios da teoria de John Maynard Keynes de intervenção estatal na economia, só reduziu os efeitos do desemprego durante a guerra, quando o desemprego finalmente caiu para 15% em  meio à imposição de altos impostos para financiar o esforço militar,com redução de jornada de trabalho e de salários e concentração massiva de trabalhadores, inclusive mulheres.

Por que Lula na época citou Roosevelt? Porque o New Deal foi uma saída parcial para a crise. . Criou estruturas de proteção sindical, de previdência, de saúde, investiu em obras públicas de grande porte para gerar empregos em massa e mesmo assim ao final da década de 30 o desemprego era elevado. Somente na guerra o nível de desemprego atingiu 15%, e como o território norte-americano não recebeu nenhum ataque, ao fim do conflito todo o capital industrial acumulado foi aproveitado para o crescimento posterior, já que saíam como maior potência econômica do mundo. Getúlio Vargas se inspirou no New Deal .

O que Lula disse foi que o Brasil encontraria saídas através de intervenção estatal na economia e que não seria necessário participarmos de uma guerra para resolver o problema. Só isso.

Roosevelt não era um liberal. Pelo contrário. Até hoje a direita norte-americana se benze ao ouvir falar nele, porque ficou na história como o presidente mais anti-liberal. E os "cultos" da direita brasileira embarcam numa besteira para desautorizar o "iletrado" Lula. Que aplicando a intervenção na economia fez o Brasil passar ao largo desses 5 anos de crise. E ainda reclamam do "pibinho". É a tal da Falta de Noção que Assola o País fazendo escola. A direita brasileira já foi mais preparada.

O que eles queriam está no item 7 do texto abaixo. Reduzir impostos, custos e drasticamente as despesas do governo. A mesma fórmula imposta pela Alemanha à Europa que agora domina pelo capital, e que não consegue tirar a Espanha, Portugal e outros do buraco. Lula reduziu alguns impostos mas não decretou a recessão. Pelo contrário, usou os bancos públicos para estimular o crédito e o consumo. Aumentou os gastos em programas de transferência de renda. Uma heresia para os liberais que ainda hoje negam os resultados anti-crise e dizem que a economia vai quebrar como um mantra apoiado pela mídia.

Segue a íntegra de uma mensagem que tem encantado incautos pelas redes sociais. Nem vou citar a fonte para poupar os autores de humilhações.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Essa é imperdivel!!!!!!!!

-REPASSANDO

Lula, o nosso "ex-comandante", fez uma declaração "histórica", na semana passada, na posse de diretores do Sebrae: 

"Temos que reconhecer que a situação é delicada, e que essa crise é, possivelmente, maior que a crise de 1929. E temos que reconhecer que o Roosevelt só conseguiu resolver a crise de 29 por causa da II Guerra Mundial.
Como não queremos guerra, queremos paz, nós vamos ter que ter mais ousadia, mais sinceridade, mais inteligência, porque... eu não admito que, uma guerra, para resolver um problema econômico, tenha 6 milhões de mortos".

COMENTÁRIOS PERTINENTES S/REGISTROS HISTÓRICOS:

1. A Segunda Guerra Mundial não teve absolutamente nada a ver com a crise americana de 1929;

2. A Segunda Guerra Mundial foi motivada pelas condições impostas à Alemanha pelos vencedores da Primeira Guerra Mundial, que durou de 1914 a 1918;

3. A Segunda Guerra Mundial começou em 1939 e terminou em 1945 e os Estados Unidos mandou suas tropas para Europa – entrou na guerra contra a Alemanha - em 1941;

4. A Segunda Guerra Mundial encerrou com 52 milhões de mortos, quase dez vezes mais que o número que o boçal falou;

5. Seis milhões foram as vitimas do Holocausto, patrocinado pelos nazistas. O dito cujo confundiu tudo o que a assessoria dele informou (tenha paciência, não queira que a limitada massa cinzenta dele decore tudo que lhe passam);

6. Em 1929, o mundo não tinha e nem imaginava o que seria uma economia globalizada;

7.O Presidente Franklin Delano Roosevelt resolveu a crise americana diminuindo custos e impostos e reduzindo drásticamente as despesas do governo.Exatamente ao contrário do que a "antológica anta" e seus ministros não fizeram e que o atual governo também não está fazendo;

8. Pela declaração imbecil, Sua Excia. Metalurgí­ssima, Sr. Luís Inácio Lula da Silva, imagina que a crise só será extinta por meio de uma guerra mundial, mas ele, "o grande pacifista e magnânimo lí­der", não admitirá uma guerra mundial para que a crise seja solucionada, muito menos com 6 milhões de mortos. É mole?

E esse é o cara que atingiu 74% de popularidade...

DÁ para acreditar?

Eu faço parte dos 26% que nem podem ouvir falar no nome dele e do PT & Cia, sem que fiquem com o estômago embrulhado e com ânsias insuportáveis...

DEUS SALVE A NOSSA PÁTRIA!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

YOUTROUXA 0061 : "Dilma quer acabar com viagens ao exterior"

Nunca na história deste país se viajou tanto ao exterior. E o "tanto" não quer dizer os bacanas do "jet set" viajando todo dia: milhões de pessoas da classe média tiveram esse privilégio antes só dos riquinhos, que ficaram revoltados quando viram que o paraíso não era só deles.

Lula recebeu a economia destroçada de FHC, com o dólar a R$ 4, inviabilizando as viagens. Por fatores diversos a moeda brasileira se valorizou e há pouco mais de um ano se comprava dólares por R$ 1,56, reduzindo a diferença entre os preços de turismo no Brasil e os do exterior. Dilma criou o programa "Ciência sem Fronteiras" para levar estudantes brasileiros a universidades no exterior. Já são mais de 60 mil.

Quando o brasileiro visualiza a vida no exterior percebe quanta coisa errada temos por aqui para consertar. E que na economia estamos surfando na crise, pois dependendo do destino o que se vê é desemprego, desesperança, queda da qualidade de vida. É positivo portanto que mais e mais brasileiros tenham acesso ao exterior.

Para proteger a moeda brasileira do impacto previsível da valorização do dólar, que já começou e deve continuar em 2014, o governo brasileiro deverá levar a moeda americana até uns R$ 2,60 nos próximos meses. Isso não é para frear as viagens ao exterior, como mídias bandidas já sugerem, mas para impedir a escalada da inflação. Quando um produto importado sobe de preço, o empresariado nacional vê a oportunidade de aumentar o seu produto, sem nenhuma razão baseada em custos de produção. Aumenta o "Lucro Brasil", causa inflação e tira poder aquisitivo da classe média, que acaba ficando sem recursos para viajar. Isso é mais danoso que equalizar as taxas sobre meios de pagamentos, que já existiam em 6,38% para os cartões de crédito.

Não será esse reajuste de impostos sobre cartões que freará o fluxo de turismo. Quando Itamar Franco lançou o Plano Real em 1994, um dólar valia um real. Se a moeda brasileira se desvalorizasse com a inflação do Real, hoje um dólar valeria uns R$ 5. Se com a paridade real x dólar houve um momento de alívio para viagens ao exterior em 1994, o que dizer com o dólar valendo menos da metade de um real hoje, considerada a desvalorização da moeda brasileira diante da inflação desses 20 anos? O turismo só pára se o dólar chegar à faixa de R$ 4, o que não está nem nas previsões mais catastrofistas da mídia terrorista.

Pode-se viajar como antigamente, levando-se a moeda estrangeira em espécie, pagando os 0,38% de hoje. Os destinos também podem ser mais próximos. E os empresários brasileiros podem fazer promoções de turismo depois da Copa, já que até lá os hotéis e passagens aéreas serão os mais caros do mundo.

Como tem crediário para tudo, não será um IOF de 6,38% que irá acabar com mais essa conquista dos últimos 10 anos. 

O governo está sendo bombardeado com uma campanha que afirma haver desequilíbrio nas contas externas e, por outro lado, quer mais recursos para equilibrar o orçamento interno. Creio que até se estimula a viagem ao exterior, pois quanto mais pessoas virem que o Brasil está melhor que muitos países contribui para melhorar a avaliação do governo. Não será um aumento de tarifas dessa ordem, depois de uma desvalorização do Real em 50%, que parará o movimento de turismo ao exterior. O poder aquisitivo em expansão permite isso. É o ônus do sucesso. http://economia.ig.com.br/2013-12-27/decreto-aumenta-iof-sobre-cartoes-de-debito-no-exterior.html

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

YOUTROUXA 0060: "Dilma está trazendo de volta a inflação"

Esclarecendo: observem as aspas no título da matéria denotando que a expressão não é minha, mas de gente que não sabe muito das coisas e sai repetindo o que ouve na mídia bandida, que oculta o passado e apresenta o presente como novidade.

Dilma não está trazendo de volta a inflação. E a do seu governo não é das maiores. Nem foi a do Lula. O campeão de inflação mais recente foi Fernando Henrique Cardoso. O modelo do Real de Itamar Franco foi fazendo água ao longo do seu governo, aumentando as dívidas dramaticamente. Taxas de juros de até 44% foram praticadas. Dólar a R$ 4. Mesmo assim a inflação se tornou galopante em 2002, seu último ano de governo. Entregou a Lula uma herança maldita, com o patrimônio dilapidado pela privataria tucana, onde grandes empresas foram vendidas a preço de banana.

Quem descontrolou a inflação foi FHC. No primeiro ano de mandato Lula arrumou a casa e a inflação caiu para 9,3% e se manteve baixa até a crise de 2008. A partir daí começou a retomada forte dos investimentos, elevando a inflação a patamares razoáveis em relação ao passado. Foi estimulado o consumo e alguns preços subiram porque as pessoas passaram a comprar mais. Chegou a ser em 2011 maior que em 2013.

Meu amigo, minha amiga: se os que te querem fazer de trouxas sabem o dolo das mentiras que divulgam, não seja mais um deles. Divulgue essa tabela para que a verdade seja reposta. 

Mídia Bandida 0040 : Escondendo que FHC sacrificou assalariados com IRPF

Quem ler a matéria "Nova tabela do IR aumenta cobrança de impostos sobre salários" do Estadão de ontem será informado que nos últimos 18 anos a correção da tabela ficou 66% abaixo da inflação do período e nivelará FHC com Lula e Dilma no seguinte comentário raso: "é tudo igual, no fim quem paga a conta é o trabalhador, não importa PSDB ou PT". O título da matéria está correto, pois neste ano o reajuste automático da tabela será de 4,5% contra uma inflação estimada de 5,9% para 2013. Até O Globo deu a matéria com viés mais positivo: "Correção da tabela do Imposto de Renda reduz a mordida do Leão em até 10%"http://oglobo.globo.com/economia/correcao-da-tabela-do-imposto-de-renda-reduz-mordida-do-leao-em-ate-10-11150608

A matéria do Estadão também suscita a seguinte comparação entre governos:
Fonte : Receita Federal - declarações IRPF de 1924 a 2008
"O resultado disso é o aumento da tributação sobre o assalariado. Em 1996, a isenção do imposto beneficiava quem recebia até 6,55 salários mínimos, segundo levantamento da consultoria Ernst & Young. Em 2014, essa relação despencará para 2,47. Assim, brasileiros antes isentos por causa da baixa renda vão paulatinamente ingressando na condição de contribuintes." Um anti-petista hidrófobo escreverá em maiúsculas seu comentário na matéria: "ESSES FDP DO PT, ESSA PETRALHA, ESTÁ ROUBANDO CADA VEZ MAIS ATÉ QUEM GANHA MENOS".

Aí um leitor mais cauteloso vai aos dados e comprova que, de fato, a base de contribuintes do IR aumentou desde o Plano Real de Itamar Franco de cerca de 6 milhões para 26 milhões em 2013 (vide gráfico). FHC incorporou cerca de 7 milhões à base do IRPF. Lula e Dilma dobraram o que receberam de FHC. Antes que coxinhas desesperados peguem suas armas para depor o governo, vamos a mais dados.

Fonte : Receita Federal 
Como FHC aumentou a base contribuinte? Através do congelamento da tabela do IRPF por 6 anos. Aumentou abaixo da inflação em 1995 e acima em 2002, ano eleitoral. No mais, todo mundo que passava de R$ 900 mensais entrava no clube dos contribuintes do IRPF. Entre dez/95 e dez/2002, a inflação acumulada foi de 63,9%, enquanto o mínimo de isenção subiu 33,2%. Considerando-se que os salários ficaram praticamente congelados nesse período para grande parte dos trabalhadores, houve uma considerável facada do Leão nos salários dos trabalhadores. Se tirarmos o ano eleitoral de 2002, a inflação entre dez/1995 e dez/2001 foi de 45,68% enquanto o reajuste da tabela foi de 13,17%. Mais do triplo!

Tabela 1
Em tributação justiça é quando todos pagam um pouco, e quem tem mais, paga mais, em progressividade. No Brasil ainda hoje o percentual de pagantes do IRPF é muito pequeno em relação aos países capitalistas avançados, e o valor arrecadado em relação ao PIB também. Elevar a base contribuinte é a meta da Receita rumo a essa "justiça tributária". A tabela comparativa internacional de imposto de renda a seguir mostra que entre as economias mais ricas, o Brasil tem alíquota máxima relativamente pequena, ou seja, nossos mais ricos podem pagar mais, se querem se parecer com seus colonizadores. E nos EUA, Japão, Itália, Reino Unido e até na Argentina não tem refresco: todo mundo paga o IR, com qualquer salário!

Detalhe: apesar de congelada a tabela do IRPF, a inflação do período FHC foi absurda, bem maior que esta que a mídia martela como "perigosa" e "fora de controle". Vide dados na Tabela 1.

Lula tomou posse em 2003 com a economia desestruturada pela elevada inflação e com o dólar na casa dos R$ 4. Taxas de juros na estratosfera, dívidas impagáveis, etc. Manteve a tabela congelada por dois anos. Para o ano calendário de 2005 a tabela foi ajustada em 10%. No ano seguinte, novamente acima da inflação, em 7,3%. A partir daí e até hoje, em 4,5%, que é o centro da meta de inflação. Por quatro anos do seu governo o reajuste superou a inflação, contrariando a matéria do Estadão.

Até o ano calendário de 2008 havia duas alíquotas do IR: 15% e 27,5%. A partir de 2009 passou a haver 4 alíquotas: 7,5%, 15%, 22,5% e 27,5%, o que reduziu pela metade o imposto de quem ganha, em valores de de 2013, entre R$ 1710,79 e R$ 2563,91. Na parte dos mais "ricos", aliviou quem hoje está na faixa de R$ 3418,60 e R$ 4271,59 baixando de 27,5% para 22,5%.

Considerado o período de 11 anos de Lula / Dilma até dez/13, a inflação será de cerca de 86,6% e o reajuste da tabela de 61,70% . Há perdas para a inflação, mas bem menores que a do período anterior, além do alívio para algumas faixas.

Quanto à comparação com o salário mínimo, há que se tomar cuidado porque o seu valor subiu nestes últimos 12 anos 70% em poder de compra, daí o a faixa de isenção medida em salários-mínimos ter despencado. Mais um dado que gostam de manipular.

A diminuição das perdas em Lula/Dilma foi fruto da pressão de centrais sindicais, que garantiram até 2014 um reajuste automático da tabela, que acabou abaixo da inflação. Para acabar com o problema, há uma proposta do Sindifisco - Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal - para reduzir gradativamente a perda em relação à inflação em um período de 10 anos, a partir de 2015. A diferença da redução de arrecadação seria coberta pela taxação de lucros e dividendos a partir de R$ 60 mil por mês. Desde 1995 (coincidentemente FHC) esses valores não são taxados pelo Imposto de Renda.

A campanha Imposto Justo visa à coleta de 1,5 milhão de assinaturas para apresentar, ao Congresso Nacional, projeto de lei de iniciativa popular que propõe o reajuste dos valores das tabelas progressivas mensais do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), o aumento do limite do valor dedutível com educação, a dedução de valores pagos a título de aluguel residencial, entre outras alterações na atual legislação sobre o Imposto de Renda.








domingo, 22 de dezembro de 2013

Copa 2014 : A quem interessa o terrorismo?


Se por alguma tragédia não tivéssemos mais a Copa de 2014, os resultados dos investimentos até aqui já pagaram de longe os R$ 7 bi investidos na forma de criação de empregos, renda, movimentação de diversas cadeias produtivas. Já se pagaram em impostos. Os tais que as pessoas reclamam para hospitais e educação a pretexto de serem contra a Copa. A Fundação Getúlio Vargas tem o estudo "Brasil 2014 - Impactos Socioeconômicos da Copa de 2014" que demonstra com números isso.

Abortar a Copa de 2014 nesta altura do campeonato é burrice. É jogar fora todo o discurso de "prioridade". "Não adianta chorar, a nega tá la dentro", diria o locutor Waldir Amaral, na década de 70. O discurso anti-Copa morreu na Copa das Confederações, que aconteceu e ninguém mais fala nas manifestações. Por que alguém posta uma imagem do Anonymous para ameaçar, como essa daí? Aguardando a Copa, se é que vai ter, o escambau. Vai ter sim, não há dúvidas. Se acontecer e der certo trará os benefícios que levaram a gastar dinheiro até aqui.

A quem interessa o terrorismo? A questão não é mais por 20 centavos. Não é por saúde, porque Dilma peitou o corporativismo médico para atender aos mais necessitados e não havia um só "Anonymous" nas ruas hostilizando os coxinhas preconceituosos, que queriam os pobres morrendo sem atendimento. Fez aprovar a destinação dos recursos do pré-sal para educação e saúde, e não tinha nenhum deles aplaudindo isso. Destinou pilhas de dinheiro aos governos para melhorar os transportes. Até a quem está enrolado até os cabelos com corrupção, e não tinha um só mascarado lá para cobrar deles e conferir onde será gasto o dinheiro.

Quando Dilma falou em Constituinte para mudar o sistema político, correram todos. Não interessava nada disso. Uma grande farsa. Muita gente foi na onda mas o que se pretendeu em junho, com apoio da mídia, foi golpear o governo. Não conseguiram. Teve a Copa, Dilma recuperou o prestígio, a mídia perdeu credibilidade e os "rebeldes" mercenários sumiram todos. Nas ruas só os bons e velhos movimentos organizados de esquerda.


A direita não consegue derrubar Dilma porque a economia e os programas sociais a sustentam. A economia eles todos os dias tentam detonar com mentiras em todos os telejornais e demais mídias, mas as realidades teimam em desmenti-los. A maioria dos estádios está pronta, com excelente qualidade. O resto fica pronto até lá. Em alguns deles a aprovação é enorme. Já foram palco de grandes jogos de futebol e de shows, com boas rendas. Os mesmos que vaiaram Dilma em Brasília hoje elogiam os estádios, mas vão vaiá-la de novo porque são mal-educados. Nem que inviabilizem a Copa conseguirão tirar os votos que precisam para eleger algum candidato de volta ao passado. Ou que comprometa o futuro. Não afastam investidores. Todo mundo já sabe que isso é um grande circo.


O protesto justo já foi feito, por causa da falta de prioridade com os estádios. Batalha perdida. Agora é hora de fazer dar certo para que se colha tudo o que se prometeu em benefícios para o Brasil, pois o concreto não pode virar dinheiro para hospitais nem escolas. Explodir os estádios, inviabilizar os jogos, tudo isso deporá contra qualquer boa intenção que se pretenda. É irracional. E muito, muito suspeito.

Sem essa palhaçada de terrorismo. Se é para protestar, vão para a porta das bases aéreas e Ministério da Defesa exigir que o país não compre os jatos suecos Gripen por R$ 10 bilhões, mais caros que os estádios e não educam nem dão saúde. Tem gente por aí que pode até patrocinar o circo... Pelo contrário : só geram gastos e mortes. E contra a sonegação, que em 2013 equivalerá a 4 vezes o orçamento da saúde para o próximo ano? E contra os juros e rolagem de dívidas, que neste ano superaram em mais de 5 vezes educação, saúde e Bolsa-Família?

Não, isso não interessa. Melhor combater o Bolsa-Família, que custa 23 bi para manter 15 milhões de pessoas comendo e as crianças indo à escola Por que não questionar jatos, sonegação e juros? Ah, isso não dá mídia, não dá holofote...


GOLPE : "Suas linhas junto ao banco encontram-se congelados. - 328192"

Golpe de péssima qualidade. Começa pelo erro de concordância do título do e-mail. E pelo conteúdo, em seguida. Que linhas de banco? De crédito? Telefônicas? Aí vem o remetente: pimentajuvenil@gmail.com. Denota a infantilidade de quem acha que uma pessoa, por mais crédula que seja, achará coerência entre esse e-mail e a SERASA. Depois de mais alguns erros de português técnico, vem o link do tal "cheque protestado com 5 dígitos no número. E abaixo do link um campo em cinza, obrigando o curioso a abrir o link http://bit.ly/guardarporfavor, que pode ter instruções pedindo dados ou simplesmente instalando um vírus no micro do curioso. Não clique. Se clicar passe anti-vírus. Por sinal, o golpista incipiente ainda bota na barra do mail que foi inspecionado por anti-vírus. Segue a mensagem original:
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Serasa Experian 
20 de dez (2 dias atrás)
para mim
Prezado Cliente (a),
Em nosso sistema foi protestado um Cheque de vossa senhoria,
no valor de R$ 2.830,00
Segue abaixo copia do cheque Protestado:
Cheque Protestado Nº 00312
Data Protesto:
15/11/2013:
Atenciosamente,



Marcelo Suzuki Corrêa
Gerente de Protestos - Serasa Experian

Mídia Bandida 0039 : A "enquete democrática" da Veja

Até há algum tempo a mídia tinha controle sobre o ódio de incutia na cabeça dos seus expectadores. Manipulavam para conseguir massa crítica irracional contra o governo e o PT. Sabiam que isso era um jogo. De um tempo para cá parece que eles mesmos passaram a acreditar no que pregam, e assim perderam a noção das táticas usadas contra o inimigo, passando a tê-las como estratégias.

O que justifica a revista Veja fazer uma enquete "Quem merece o título de Homem sem visão de 2013" listando apenas aqueles que passou o ano detonando, caluniando, odiando? Vejam a lista. Tem alguém do PSDB? Do DEM? Do STF só o ministro Celso de Melo, que eles atacaram abertamente na questão dos embargos infringentes. Do PMDB só o Sérgio Cabral. Democrático, né?

Ainda bem que as pessoas acordaram para o problema da manipulação midiática. Nem todas, mas muitas. Vão ter que depender de "favores" dos seus "homens de visão" para vender revistas. Alckmin comprou mais de 5 mil exemplares para poluir a mente dos estudantes paulistas. Sem licitação, claro. Fora as que já têm assinatura. http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2013/08/sem-alarde-da-midia-alckmin-renova-5-2-mil-assinaturas-daveja-2556.html

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Ditadura pagava mal aos militares?

Recebi pelas redes sociais a imagem ao lado criticando os soldos dos militares. Esse tipo de discurso circula pela internet como forma de fomentar o ódio aos governos Lula e Dilma, em especial dela, a quem os interessados na intriga chamam carinhosamente de "assassina" e "terrorista". Como os saudosos da ditadura que tremem de medo da Comissão da Verdade espalham mentiras a rodo na Web, resolvi levantar a seguinte hipótese: será que na ditadura os militares ganhavam mais?

Consegui na internet um levantamento de pelo menos um valor de soldo, o de Almirante de Esquadra, topo de carreira, a partir de 1972, com valores históricos conforme moedas de cada época. Para homogeneização dos dados usei o valor do soldo e do salário mínimo vigentes a cada 1° dia do ano. Esse indicador apresenta algumas restrições:
- Na vigência do regime militar (1964/1985) os reajustes passaram a ser calculados com base no índice de inflação projetado pelo governo, e não com base no índice real. Como o governo tinha interesse em mostrar controle sobre a inflação, os órgãos oficiais comumente divulgavam um valor mais baixo do que o que ocorria na realidade, o que levou a uma forte queda salarial. (fonte: Força Sindical - "A trajetória do salário mínimo de Vargas a Lula - 2010)
- Nos períodos de hiperinflação chegamos a ter reajustes mensais de soldos e do salário mínimo, fazendo flutuar muito essa relação em alguns casos. O poder aquisitivo podia cair muito ao longo do próprio mês;
Recebido por e-mail, sem fonte conhecida
- Havia casos de congelamento do Salário Mínimo por alguns meses enquanto os soldos variavam, aumentando por alguns meses o poder aquisitivo. O contrário aconteceu também, em especial no período de congelamento no governo de Fernando Henrique Cardoso (FHC), onde o poder aquisitivo foi o menor da série desde 1972.

Também consegui uma tabela de valores históricos do Salário Mínimo. Uma das tabelas também mostra a comparação com o Salário Mínimo Necessário (SE) calculado pelo DIEESE, calculado segundo uma cesta que atende as necessidades do trabalhador levando em consideração o preço de itens básicos de alimentação, como arroz, feijão, carne, farinha e leite, moradia, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social. Os valores levam em conta as necessidades de uma família de dois adultos e duas crianças, considerando que o trabalhador deve sustentar essa família apenas com o seu salário.

Nos últimos 10 anos, com a política de valorização do Salário Mínimo, a relação entre o que se paga e o considerado ideal pelo DIEESE nunca esteve tão próxima, considerada a série histórica. O poder de compra subiu mais de 70% sobre a inflação do período.  (vide Tabela 3)

Tabela 1 : Relação Soldo de Almirante de Esquadra x Salário Mínimo
Como as moedas vigentes para os valores de soldo (SO) e salário mínimo (SM) que usamos eram as mesmas, o valor gerado pela relação SO/SM independe de ajustes inflacionários nos valores das moedas.

Feitas essas considerações, vamos à demonstração. A Tabela 1 mostra que nos governos militares (Médici, Geisel e Figueiredo) o caso estudado mostra que um Almirante de Esquadra recebia de soldo (que é uma parte dos rendimentos) entre 10,62 e 14,33 salários mínimos, observando-se que o SM desse período era rebaixado pela política salarial vigente. Essa relação é inferior em termos de poder aquisitivo à atual.

No período FHC os militares tiveram os soldos congelados por 5 anos, chegando à mais baixa relação SO/SM da série.

A exemplo de outras categorias de trabalhadores, como os servidores públicos e funcionários de estatais, que tiveram salários congelados no período FHC, os militares possivelmente receberam abonos ou algum tipo de bônus que tenha atenuado a queda brutal do poder aquisitivo, agravando-se até o ano 2000. A tabela 2 mostra que o soldo em estudo chegou a valer menos de um salário mínimo necessário (SN) do DIEESE, que em valores atuais está em cerca de R$ 2.800.

Tabela 2 - Relação entre soldo do Almirante de Esquadra e o Salário Mínimo Necessário do DIEESE
Se o topo chegou a essa situação grave, a situação dos que ganham menores soldos deve ter sido muito pior, e deve ter havido forte pressão pela reestruturação, que acabou acontecendo através da Medida Provisória 2131 de 28/12/2000. O soldo do Almirante de Esquadra teve reajuste de 618,15%. Essa MP também estabeleceu uma tabela de escalonamento vertical da carreira e discriminou os benefícios adicionais.

Tabela 3 - Evolução do Salário Mínimo - Lula / Dilma
Em 01/01/2001 o soldo do Almirante de Esquadra teve seu maior poder aquisitivo da série desde 1972. Equivaleu a 29,8 salários mínimos vigentes à época e a 4,34 salários mínimos necessários calculados pelo DIEESE. Como base de comparação, a lei determina que o salário mínimo de engenheiros e arquitetos seja equivalente a 9 salários mínimos oficiais para uma jornada de 8 horas.

Nos três anos seguintes o valor ficou congelado, voltando a ter reajuste em 01/01/2005, no governo Lula. Teve um novo congelamento em 2007 e daí para a frente passou a ser ajustado anualmente. A relação SO/SM caiu para 13,41 (2013) ao longo do período Lula / Dilma porque o salário mínimo cresceu mais que a inflação e os reajustes dos militares e demais servidores públicos, mas a relação SO/SM, embora declinante, mantém-se na faixa dos 3,4.

Quando FHC entregou a faixa a Lula, seu governo já tinha decidido pela continuidade do congelamento que manteve os mesmos valores a partir da mesma data (01/01/03). A relação SO/SE era de 3,25. Lula manteve o congelamento herdado do FHC por um ano. Depois manteve e melhorou o poder de compra. Hoje está em 3,40, ou seja, a "presidanta", "assassina" e "terrorista" ainda paga a eles melhor que o FHC deixou, em termos de poder aquisitivo. Lula, o "cachaceiro", "apedeuta", "bolivariano", "homem do Foro de São Paulo", como as viúvas da ditadura costumam dizer, ainda chegou a pagar melhor que isso.

Este estudo pode ser melhorado com mais informações, em especial do período de congelamento no governo FHC, que não consegui através da internet. O fato é que, salvo desconhecimento de algo muito restrito ao âmbito militar, o poder aquisitivo atual é superior ao dos anos do regime militar. Podem criticar Lula e Dilma por diversos motivos e praticar o saudosismo da ditadura por motivos ideológicos, mas o fato é que naquele tempo, mesmo no poder, os militares não ganharam tão bem quanto nos governos civis do século XXI.



quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Salário Mínimo vai a R$ 724 em janeiro de 2014

O Congresso aprovou ontem o orçamento para 2014. A notícia boa, mas não tão boa, é que o salário mínimo subirá acima da inflação (6,6%), passando a R$ 724 . Isso significa que em 1° de janeiro de 2014 ele valerá cerca de 1/4 do necessário para manter uma família, segundo uma cesta básica calculada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (DIEESE).

Os gráficos abaixo mostram essa relação entre o que se paga e o que se necessita. O valor do salário necessário (SN) do DIEESE para janeiro de 2014 foi estimado. A série vem desde o Plano Real. Os valores em 1 de janeiro de cada ano dependem de decisões do ano anterior, daí termos o de 2011, por exemplo, atribuído ao governo Lula, o de 2003 ao de FHC e o de 1995 ao de Itamar.

Uma observação importante é que mesmo com a atual fórmula de reajuste do salário mínimo, acertada entre governo e entidades sindicais, que impõe reajustes ao Salário Mínimo geralmente acima da inflação, nos últimos anos a relação SM/SN praticamente se estabilizou, demonstrando que o poder aquisitivo, que cresceu muito no período Lula, está estabilizado no governo Dilma.

A reprodução dos gráficos é autorizada, desde que citada a fonte.





terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Brasil Vira-Latas 0017 : BMW diz que Brasil é uma BMW

Os que trabalham 24 horas por dia para deprimir expectativas econômicas, aliados aos vira-latas que acham que nada no Brasil presta, devem estar deprimidos com o editorial da empresa alemã BMW em espaço publicitário na Folha de São Paulo. Logo a marca do sonho de consumo deles fazendo isso? A empresa dá o tapa na cara de todos eles: "Se alguns duvidam do Brasil, nós investimos 200 milhões de euros."

----------------------------------------------------------------------------------------------------
O Brasil é um BMW.

Nova fábrica BMW em Araquari, SC.

Nasce hoje, para um Brasil maior amanhã.

Ultimamente, parece que está na moda questionar a capacidade do Brasil.

A capacidade do País de realizar, de crescer, de ser grande, de ser o país que todo mundo espera e precisa.

Permitam-nos discordar inteiramente dessa percepção. Para nós, o Brasil é um BMW.

Poucos países no mundo cresceram como este.

Cresceram em riqueza, cresceram em possibilidades, em autoafirmação e em plena liberdade.

O Brasil passou de mero espectador a vibrante realizador. Deixou de ser aquele sujeito que ficava à beira da estrada, só assistindo aos carros passarem, para virar motor do seu próprio destino.

Este país é único. Pensa novo. É original de fábrica na sua natureza, na sua língua, no seu povo.

Nenhum país hoje no mundo pode escolher um caminho que não passe pelo Brasil. Nada mais natural do que a BMW estar aqui.

Se alguns duvidam do Brasil, nós investimos 200 milhões de euros.

Se ficam com o pé atrás, nós pisamos no acelerador: vamos gerar mais de 3.500 empregos diretos e indiretos, numa fábrica com capacidade para produzir 32 mil carros por ano: BMW Série 1, Série 3, BMW X1, X3 e MINI Countryman.

Esta fábrica que hoje nasce em Araquari. Que vai incorporar o mesmo modelo de produção, excelência e controle de qualidade com que a BMW produz na Alemanha, trazendo mais know-how e tecnologia a este grande país.

A BMW acredita tanto no Brasil que este será um dos poucos países do mundo a poder fabricar os carros da marca. Um privilégio de pouquíssimos. Aliás, permitam-nos hoje também o privilégio de nos sentir um pouco brasileiros.

O Brasil não se compara a nenhum outro.

Seu estilo não tem igual no mundo. E breve, muito breve, ele vai estar ultrapassando, deixando para trás, falando sozinhos os que há pouco duvidavam da sua capacidade.

O Brasil é um BMW.

Por isso a gente já está se sentindo em casa.

Doação de empresa é a mãe de todas as corrupções

Está no Supremo Tribunal Federal a decisão sobre o financiamento de campanhas eleitorais por empresas privadas. A Ação Direta de Inconstitucionalidade foi impetrada pela OAB, que pede a declaração de inconstitucionalidade de trechos das leis das Eleições e dos Partidos Políticos.  Já tem votos contrários dos ministros Luiz Fux e Joaquim Barbosa.

O PT apóia a OAB. A Procuradoria Geral da República também. O PSDB e o PMDB são contra, mas dissimulam colocando-se contra a "ingerência do Supremo" em assuntos de natureza legislativa. Até a revista VEJA assumiu que se não houver o financiamento público reinará o caixa dois, mesmo entrando em contradição com o discurso que fez por oito anos no processo do mensalão, onde dizia ser desvio de dinheiro público. A ação tramita há mais de um ano e o Congresso não se antecipou para propor alternativa legislativa.

Por que é importante deixar apenas as doações individuais, mesmo assim limitadas a um valor de teto? Porque o voto é individual, não é de pessoa jurídica. O cidadão vota e cobra o programa de governo. A empresa não vota e controla o mandato exigindo contrapartidas ao "investimento".

Há quem preveja um "festival de caixa dois" caso sejam suspensas as contribuições. O mensalão foi caixa-dois, começado justamente pela campanha de Eduardo Azeredo, do PSDB mineiro.

No seu voto, o ministro Luiz Fux disse que quem quer cometer o crime que se disponha a cumprir a sanção correspondente, ou seja, o fim do financiamento não estimula o caixa 2, que atualmente é apenas crime eleitoral, prescrevendo 15 dias depois da diplomação dos eleitos (fonte: Congresso em Foco).

O financiamento privado de partidos e eleições é a origem de uma parte dos superfaturamentos em fornecimentos aos governos. Aí estão os casos dos trens paulistas para ilustrar como funciona o esquema, que na verdade é caixa-dois mesmo. E como nesse universo de crimes eleitorais ninguém passa recibo, apenas o que está declarado no TRE pelas empresas aparentemente entra no caixa de partidos e campanhas. O "por fora" serve para irrigar campanhas e fortunas pessoais. Tem até "sobra de campanha" com "recursos não declarados".

Exigir o fim do financiamento privado de campanhas fortalece a democracia. Não se pode admitir que empresas determinem quem representará o povo. Nem que tomem o dinheiro público para dar uma parte a esses financiamentos, na forma de superfaturamentos ou privilégios. O STF tem a obrigação de votar contra essa imoralidade, para que valha imediatamente, nas próximas eleições. Não se adia inconstitucionalidade.

Partidos com militantes serão os mais favorecidos, pois têm como arrecadar em eventos, com venda de rifas, materiais, etc. No meu tempo de militante do PT, antes do financiamento privado e do caixa-dois que contribuíram para algumas campanhas ricas em detrimento dos demais candidatos, todo mundo corria atrás de convencer pessoas a patrocinar as lutas do partido e das suas campanhas. Quem sempre viveu nas tetas do poder público e favorecendo empresas é que vai ter problemas.











quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

FANOAPÁ 0052 : "Só o capitalismo tem TVs de 60 polegadas"

Facebook - Jovens de Direita
A gozação da imagem ao lado faz sentido para quem ainda está parado no tempo da Guerra Fria, disputando item a item o que há de bom ou ruim no capitalismo e no socialismo. No caso, a oferta ao consumo de uma TV de 60 polegadas e mesmo a tecnologia para produzi-la seriam argumentos para mostrar a superioridade do capitalismo. Isso é o que se usa para a disputa cotidiana de hegemonia para atrair jovens para a direita.

China - Pequim - Praça da Paz Celestial - outubro de 2011
A Falta de Noção que Assola o País - FANOAPÁ - associada à desinformação ululante sobre o assunto, acaba criando a situação para que a gente mostre a segunda foto. Nada menos que uma TV de LED de 40 metros de largura por 4 metros de altura. Localizada na capital do país que hoje é o maior produtor de TVs de todas as tecnologias e tamanhos, disponíveis também para o seu mercado interno. 

Onde é que isso fica? Pequim, capital da China, dita comunista, no centro da Praça da Paz Celestial, em frente à Cidade Proibida, próxima ao Mausoléu de Mao Tse Tung, ao lado do Grande Salão do Povo. Se superioridade de um modo de produção aceita tamanho de TV como argumento, o capitalismo perdeu de imensa goleada.

domingo, 8 de dezembro de 2013

UPPs 5 anos: A polêmica eficiência contra o crime

Completando 5 anos desde a implantação da primeira Unidade de Polícia Pacificadora do Rio, no morro Santa Marta, há resultados expressivos justificando para os moradores das áreas ocupadas pela polícia e no entorno delas sua existência. Sumiram as armas acintosamente expostas, os "bondes", as gangues, os homicídios diminuíram, enfim, houve clara relação entre UPP e melhoria da segurança em algumas áreas da cidade. No próprio Santa Marta não houve mais assassinatos.

A ocupação militar das comunidades criminaliza seus habitantes como um todo. É cena comum a polícia entrar em uma favela com o blidado Caveirão atirando em tudo o que se move. E todos os que caem são rotulados de "bandidos", mesmo que sejam crianças. Preto, pobre e favelado continuam sendo tratados como seres humanos de segunda categoria. O desrespeito aos direitos humanos está presente nas torturas policiais e nos desaparecimentos de pessoas, como o caso Amarildo, cujo corpo até hoje não foi encontrado. A polícia dita uma lei mais dura nas comunidades que a vigente nas áreas mais ricas da cidade. Até fazer festas depende da autorização da PM.

Uma crítica importante é a do "deslocamento da letalidade", ou seja, quando uma área é pacificada os armamentos e soldados do tráfico vão para outras comunidades onde fazem o terror e a violência. Nessas a criminalidade cresce.

O tráfico ao longo do tempo ganhou peso político. Traficantes são cabos eleitorais e vereadores, deputados e outros dependem da sua força como liderança para ter votos. Não é qualquer um que pode subir o morro em áreas não pacificadas. Os altos valores envolvidos também permitem corromper funcionários públicos de todos os escalões, inclusive juízes. E fazer lobbies com entidades civis, como ONGs, para detonar a imagem das UPPs, disputando politicamente os territórios.

Outro fato que incomoda é a "remoção branca" dos moradores das comunidades com a legalização dos terrenos, imposição de impostos, cobrança de água e luz que eram fornecidos pela rede criminosa de traficantes ou milícias, e com isso os custos de moradia se elevam, ficando impeditivos para muita gente que vende seu espaço e migra para ocupações em áreas de menor custo. No Morro do Vidigal, no Chapéu Mangueira e outros com vista privilegiada estão se instalando pousadas, restaurantes e pessoas que compram imóveis baratos em relação a outros pontos da cidade.

A distribuição espacial das UPPs parece seguir as estratégias de grandes eventos da cidade, como a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016. Toda a região mais rica da cidade (exceto Barra da Tijuca) já tem as UPPs, que avançam em direção a corredores de tráfego vitais, como a Linha Amarela, a Linha Vermelha e certamente deixará o Aeroporto Tom Jobim e seu entorno pacificados, deixando a cidade praticamente dividida em "áreas ocupadas" e "o resto". Niterói sofre com essa política, com o aumento rápido da criminalidade. A Baixada e a Zona Oeste também.

Quanto ao tráfico, o que mudou? Na minha opinião as palavras do Secretário de Segurança José Beltrame são seguidas à risca: "tráfico tem em todo o mundo, mas só no Rio tem ocupação territorial, e esta vai acabar com as UPPs. De fato, as áreas ocupadas agora fazem parte da cidade. Qualquer pessoa pode ir a uma comunidade com menos riscos. Mas o tráfico continua, e sustenta a riqueza de alguns, corrompe a polícia, oprime de forma velada os moradores. Tráfico sem armas expostas, é o novo modelo.

Nenhum grande capitalista do tráfico foi preso nesse período, apenas operadores. Quando um helicóptero de um político pousa na fazenda do político pilotado por funcionário do político com 450 kg de cocaína avaliados em R$ 20 milhões, nada se fala na mídia. Os traficantes mais famosos, daqueles que estão em penitenciárias federais, não têm esse volume de dinheiro para pagar por um volume desses de droga. Alguém graúdo financia, mas não tem UPP para granfino.

A lucratividade do tráfico deve ter aumentado, pois de certa forma agora toda a cidade paga pela segurança das bocas de fumo, que não acabaram. O traficante deixou de pagar uma extensa folha de soldados, olheiros, fogueteiros, soltadores de pipa, armamentos e tudo o que precisavam para impedir a tomada dos seus pontos por outra facção. Hoje quem garante a estabilidade nas mãos de uma facção é a UPP. A FGV em 2009 fez um interessante estudo sobre a economia do tráfico onde esses valores aparecem. http://blogdobranquinho.blogspot.com.br/2009/07/trafico-de-drogas-e-menos-rentavel-que.html

O fato é que o crescimento da candidatura Garotinho preocupa uma boa parte dos moradores do Rio, dada sua tolerância ao crime organizado, que ficou exposta quando seu Chefe de Polícia, Álvaro Lins, foi preso pela Polícia Federal por haver recebido "arrego" de bandidos.  Um novo governo seu poderia ser o enterro das UPPs e o retorno à condição anterior. E para os que criticam as UPPs por racismo há o temor de crescimento da intolerância religiosa com perseguições à umbanda e candomblé , já que Garotinho, sendo evangélico, tenderia a não intervir já que há pastores que convencem os traficantes a expulsar das comunidades os cultos afro. Já pelo menos dois processos em andamento no Ministério Público do Rio sobre tais perseguições. 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

MÍDIA BANDIDA 0038 : Globo atira em Dirceu, acerta Paes, Abril e o próprio rabo

A hipocrisia da Globo mais uma vez cai por terra por conta da campanha de ódio que faz ao PT. No afã de praticar o crime de lista negra trabalhista, intimidando possível empregador de José Dirceu para que não consiga usar o direito ao regime semi-aberto (tem que ter um emprego para isso) e todos os demais que propuserem, mandou um repórter ao Panamá abrir uma verdadeira caixa de Pandora: a constituição de firmas com "laranjas", ou seja, têm como presidente alguém apenas de fachada ocultando seus verdadeiros donos.

A oposição demo-tucana criminalizou logo, fazendo sua parte no esquema para tentar jogar no PT até a culpa sobre empresas desse tipo. Agora todos estão em xeque:
- descoberta empresas de família do prefeito do Rio, Eduardo Paes, no valor de R$  8 milhões, amigo e parceiro da Globo em especial nos projetos do Museu do Amanhã, Porto Maravilha, etc.
- a editora Abril, que publica a Veja, vendeu  o canal por assinatura TVA à mesma empresa "laranja" dona do Hotel St Peter, denunciado pela Globo;
- os irmãos Marinho têm uma empresa no Panamá.

Agora é correr atrás do prejuízo. Dirceu já tem uma outra proposta de emprego e logo resolverá seu problema. A Globo tenta salvar o amigo Paes de investigação. Logo as vestais da oposição decretarão o "deixa disso". E ninguém pode imaginar que a coisa pare por aí, afinal, mutreta no estrangeiro para burlar o fisco não é coisa do PT. Falando nisso até agora a Globo não mostrou o DARF com o pagamento do imposto de renda sonegado com o uso de um esquema desses no exterior. 

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

YOUTROUXA 0059 : "Joaquim Barbosa é vítima de campanha difamatória"

Apesar de assistirmos em todos os meios de informação o massacre diuturno ao PT, a Lula, Dilma e agora em especial aos "mensaleiros", há quem pense que isso não é uma campanha difamatória, mas faz parte da democracia.

O que se faz com o José Dirceu é criminoso. Ele precisa de um emprego para poder gozar do seu direito ao regime semi-aberto ao qual foi condenado pelo STF. A Globo vai atrás de acabar com a empresa, no caso um hotel de Brasília, na qual trabalharia e monta um circo, botando sob a lona até os juízes Marco Aurélio Melo e Gilmar Mendes. A Globo pratica o crime de lista negra (ofensa ao pleno emprego - art. 170 da Constituição Federal) , ou seja, estimula que ninguém empregue uma pessoa. Milhões assistem a isso enquanto jantam. E isso não é perseguição.

Quando meia dúzia de gatos pingados, perdidos entre blogs nanicos e publicações na internet teimam e opor a essa "verdade única" da minoria rica e poderosa, aí é perseguição. Não se pode dizer que o ministro Joaquim Barbosa tem um apartamento de 1 milhão de dólares (fato) em Miami, comprado através de uma empresa que não poderia ter (fato) e não podia registrar no apartamento funcional (fato), que tem um filho trabalhando com o Luciano Huck na Globo (fato) e que tem um processo do pai do Huck sob seus cuidados (fato), que recebeu uma medalha em Minas dos tucanos (fato), que sequer olhou para a gritante prova nos autos do processo que dizia que o dinheiro da Visanet não era público (fato) e isso serviu para aumentar penas e dar cadeia a alguns (fato), usou o "domínio do fato" para estender o crime de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha a José Dirceu, contra o qual não tem nenhuma prova (fato). O processo do primeiro "mensalão" está há 10 anos parado e pode ser prescrito em menos de seis meses sob sua guarda (fato), e nada faz para encaminhar numa aparente atitude de discriminação. Enfim, há o que se criticar da sua postura como servidor público à frente da maior corte do país.

Dizer que Joaquim Barbosa abusou dos seus poderes é fato. A OAB quer investigação sobre o show midiático das prisões dos "mensaleiros do PT" em 15 de novembro, onde todos se entregaram mas irregularmente um avião da Polícia Federal os levou até Brasília por nada, apenas para gerar imagens televisivas (exclusivas, claro) na Globo de "mensaleiros saindo do camburão aéreo". E depois substituiu um juiz da Vara de Execuções Penais porque quis fazer valer o direito dos condenados ao regime semi-aberto e colocou um filho de político tucano no seu lugar. Não é perseguição. Não é difamação. São atos que cometeu ao arrepio da legislação e devem ser investigados e pelos quais, se for o caso, deve ser punido.

O endeusamento de Joaquim Barbosa pelos meios de comunicação serve a vários fins. Temos no país mais injusto do mundo, em termos de distribuição de renda, 1% mais rico com 41% de toda a riqueza, que não se traduz numericamente em votos. Nas eleições vêm perdendo terreno à medida que as pessoas vão melhorando de vida e percebendo que as elites do capital não têm um projeto inclusivo. Como é que essa minoria ínfima se mantém no controle do Estado, não importa quem seja o governo? Usando suas cidadelas de poder, que acabam mandando que todas as demais instituições: STF, cúpula militar, religiões e mídia. Quando se denuncia os abusos de qualquer uma delas, a resposta é violenta, em especial pela mídia.

Barbosa é político. Pode ser candidato. Direito dele. O que não pode é usar o cargo para autopromoção, apoiada por uma mídia que quer estimular o ódio ao PT e Dilma na falta de propostas. Apenas ódio. Barbosa também pode servir a uma aventura militar, afinal, é o presidente da maior corte, facilitaria o reconhecimento por países estrangeiros interessados no nosso petró... digo, na democracia no Brasil. Segue o texto do filósofo Augusto de Franco que acusa os pequenos sites e blogs de orquestração difamatória contra Barbosa. No tempo que trabalhou para o governo FHC não havia dessas coisas, afinal, a mídia apoiava o governo e não havia redes sociais na internet para se contrapor às "verdades absolutas", que circula na internet em meio a comentários de fúria e revolta dos trouxas que veneram as criações da Globo:

UMA CAMPANHA SÓRDIDA DE DIFAMAÇÃO ESTÁ EM CURSO NO BRASIL

É de assustar. Já sei que é assim, mas sempre me assusto. Está em curso uma campanha sórdida de difamação de Joaquim Barbosa. A campanha é orquestrada. Vai desde a Carta Capital, passando pelos juristas amigos até Leonardo Boff (o teólogo que, depois das grandes manifestações de junho, se apressou logo a fazer um artigo dizendo que não se podia admitir o Fora Dilma; tudo bem com o Fora Alckmin, claro).

Claro que Joaquim tem defeitos. E muitos. Mas acho que ele tem até menos defeitos do que Péricles (que quis nomear seu filho com Aspasia de Miletocontra as regras da democracia dos atenienses). A democracia é assim. Não é feita de pessoas perfeitas (que não existem) e nem de heróis (ainda bem) e sim de pessoas comuns.

Não me consta, entretanto, que Joaquim tenha praticado algum crime. Não assinou falsos empréstimos (como fez o Genoíno). Nem montou uma quadrilha (como fez o Dirceu) para arrecadar recursos para um projeto de hegemonia de longo prazo (o que chamam de mensalão, confundido - a partir da esperteza do Consiglieri de Lula, Marcio Thomaz Bastos - em "mero caixa 2 que todo mundo faz" para enganar os trouxas).

Então, qual o crime do homem. É ríspido? É mesmo! Ao que se saiba isso não é crime tipificado em nosso Direito Penal. Eu às vezes também sou. Atropela as gentilezas corporativas e as normas civilizadas de salão e, via de regra (quando pode) decide monocraticamente? Sim. Mas nada disso também é crime. Qual o crime? Digam qual é o crime.

Usa a sua condição de negro? Ora, mas não foi Lula que o nomeou para o STF, inclusive pela sua condição de negro? Quer ser candidato (não sei se quer, tomara que não)? Ora, mas não é seu padrinho o campeão de ser candidato, aquele que transforma tudo (o que faz de legal) em disputa eleitoral (depois que aprendeu a usar a democracia contra a democracia)?

A campanha contra Joaquim Barbosa é movida pelo PT e pelo governo. Eles não se conformam com o fato de Joaquim não ter livrado a cara dos criminosos (dos poucos que foram às barras do tribunal). Eles acham que isso foi uma traição de Joaquim a quem o nomeou (porque pensam assim mesmo: em termos de vassalagem na ocupação e aparelhamento do Estado).

Não tenho nenhuma admiração especial por Joaquim Barbosa. Nada quero dele além da sua função de juiz. Não quero consertá-lo, adestrá-lo, edulcorá-lo, civilizá-lo. Quero apenas que não cometa crimes, tantos crimes de lavagem de dinheiro, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, formação de quadrilha e outros, como cometeram os seus difamadores. E, sobretudo, que não pretenda montar uma organização criminosa para reter o poder indefinidamente em suas mãos.


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Gasolina: Acionistas da Petrobrás acharam o aumento pequeno

No sábado passado começaram a circular na internet imagens de protesto contra o aumento dos combustíveis. Razoável, já que tal aumento não pesa só no bolso de quem tem carro, mas atinge todos os transportes, que encarecem preços, etc e tal. Gera inflação no sistema todo, por isso mesmo o governo tem que dosar bem os ajustes necessários para manter os preços atualizados diante da inflação.

Ao governo não interessa a indexação dos preços, pois quando começa quem leva a pior é o assalariado. Indexação é atribuir reajustes automáticos quando, por exemplo, a inflação passar de um certo valor. Se abrir a brecha para os combustíveis logo todos os produtos e serviços seguirão o caminho, inviabilizando a concorrência, a busca por eficiência, etc. Só os salários é que ficam parados, aguardando o ano todo pela data base do trabalhador.

Para a Petrobrás o reajuste deve significar um alívio para o caixa, que anda baixo porque os investimentos em andamento não maturaram a ponto de gerar receitas e de novos compromissos assumidos. Esse alívio seria uma notícia boa para os acionistas, fornecedores, etc.

Eis que, paradoxalmente, as ações da Petrobrás caem 10% num só pregão da Bovespa. A mídia aliada do capital expressa o sentimento dos capitalistas: o reajuste foi pequeno, e não foi estabelecida regra automática de aumentos dos preços. Uma decepção para eles, que queriam uma sangria maior ainda dos bolsos dos consumidores. Aí o governo, acionista majoritário da Petrobrás, fica entre dois fogos: ajusta o preço para aliviar a empresa, paga o preço político, e toma porrada da mídia porque o reajuste foi pouco para os capitalistas.

E o cidadão comum só olha para o governo como vilão. Não enxerga mais adiante a gula do capital por mais lucros, dividendos, etc. E assim vamos engasgando com mosquitos e engolindo elevantes. 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

GOLPE: BB Atualização de acesso AutoAtendimento

Mais um golpe para pegar os incautos que não sabem ou não se lembram que bancos não mandam e-mails. O pior é receber em SPAM, ou seja, foi mandado para deus e todo mundo para ver se alguém cai, e clicar no "atualizar", que manda para o link "http://parvejledning.dk/system/js/acesso/", ou seja, algo que está guardado num site da Dinamarca (dk) especialmente para deixar seu micro mandando teus dados para outros. Outro detalhe da falsidade é o e-mail que enviou, que não tem nada a ver com o BB, de um servidor da Alemanha (.de).

Antes de postar esta mensagem chegou outro golpe de mesmo formato, com o título "Verificamos Que Sua Adesao De Segurança encontra-se Desativada" enviado por mobilier-masiv.ro (da Romênia) onde o "atualizar" manda para "http://luibertello.com.pe/images/stories/banner/index.php", que igualmente não tem nada a ver com o BB. A figura é a mesma.

 Se cair nessa passe um anti-vírus urgente e não abra nada que precise de senha até se certificar que o vírus foi retirado. Segue a imagem do golpe:
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Notificação por e-mail - Atualização de acesso AutoAtendimento.


Banco do Brasil 



Prezado Usuário,

A equipe de tecnologia do Banco do Brasil se preocupa sempre em garantir tranquilidade para os clientes ao utilizar nossos serviços do autoatendimento e realiza frequentemente atualizações.

O motivo deste nosso email é para avisar que no dia 26/11/2013 foi lançada uma correção de acesso ao Autoatendimento.

Esta atualização vem para correção de componentes adicionais de acesso e se faz obrigatória para todos os clientes pessoa física. Para realiza-la siga as instruções disponíveis no link abaixo:


Utilize o botão atualizar para iniciar


Qualquer duvida entre em contato conosco. 

domingo, 1 de dezembro de 2013

GOLPE : Cheque sem fundos - 2 apresentação

Esse golpe é feito para "premiar" a curiosidade de quem recebe com a instalação de algum vírus. Botam dois cheques bem pequenos onde o pouco que se vê é um carimbo e campo "visualizar", embaixo do qual está o link "http://pmem.com.br/Visualizar.html", que de cara se vê que não tem nada a ver com a SERASA, que por sua vez não manda e-mails para ninguém. Na ansiedade de ver o anexo, abre-se o arquivo html e aí... já era! Só vai com anti-vírus. Nada de usar o micro para usar qualquer senha até a retirada do cavalo de tróia. Segue a cara do golpe:

-------------------------------------------------------------------------------------------
Urgente - Informamos que ser levado a Protesto 

Prezado Cliente (a)

Segue abaixo cópia do cheque Protestado

 

Anexos :  1 anexo(s) |  Visualizar (355,0 KB)

2013 Serasa Experian. Todos os direitos reservados.

BRASIL VIRA-LATAS 0016 : "Padrão FIFA não dá certo porque isto aqui é Brasil"

Toda vez que ouvir alguém decretar que "Isto aqui é Brasil..." pode ter certeza de estar diante de alguém querendo passar por cima do direito alheio ou de algum omisso justificando não poder fazer nada diante do esbulho alheio.

 Nos metrôs e trens é comum saudáveis sentados nos assentos prioritários para gestantes, idosos, deficientes, etc. Todos dormindo profundamente, mas estranhamente acordando quando as suas paradas chegam. As pessoas cutucam para que acordem para dar lugar a alguém que necessite, e nada... Às vezes acordam oferecendo impropérios e ameaças, com a afirmação definitiva que não vão levantar dali, que não aceitam tal regra, e que ... isto é Brasil.

Um dos legados que a Copa poderia nos legar seria uma elevação na qualidade do relacionamento entre pessoas, na educação, no respeito mútuo, provocada por uma série de exigências embutidas no chamado "Padrão FIFA", tão odiado por quem confunde os gastos sem prioridade com obras de estádio com a possibilidade de sairmos do evento melhor que antes em diversos aspectos. E por oportunistas que não querem mudar a realidade de péssima civilidade que temos no cotidiano.

Na contestação à Copa, no que tange aos estádios caros naquela lógica medíocre do "poderia estar construindo hospitais ou escolas", o Padrão FIFA também está sendo enterrado. Um exemplo é o Maracanã. Noutro dia fui comprar ingresso e a própria pessoa que orientava a fila me disse que apesar do ingresso numerado, aquilo não estava valendo.

O direito à "bunda numerada" é um avanço em relação à lei do mais forte que impera na maioria das relações interpessoais. Não raramente vejo crises nos aviões porque pessoas simplesmente ocupam as janelas sem respeitar numeração de assentos, às vezes com desdobramentos em barracos quando o prejudicado pede mediação dos comissários.

Em relação aos estádios, uma amiga quase foi agredida ao querer fazer valer o que estava escrito no ingresso, ou seja, o direito a uma cadeira no setor x, fileira y, número z. Ao chegar ao local um homem disse que ela fosse para outro lugar porque não se levantaria dali. Ponto final. Ela recorreu às pessoas da organização, que a princípio tentaram dissuadi-la da idéia de comprar a briga, oferecendo-lhe um lugar cativo de pessoas com necessidades especiais.

Ocorre que a torcida fica a maior parte do tempo em pé, e perde-se a visibilidade nesse local. Ela voltou à carga e exigiu se lugar. O homem quase a agrediu e a quem tentava auxiliá-la. Veio a sentença que tudo justifica : "Minha senhora, isto aqui é Brasil, essa coisa de assento numerado é coisa da FIFA para jogo de Copa". Com o apoio de outros torcedores, que viram o episódio de truculência se arrastar, o homem acabou cedendo e ela conquistou enfim o seu espaço. E o usurpador saiu sendo sacaneado pelos demais.

Interessante é que nunca na história deste país tantas pessoas das diversas classes sociais viajaram ao exterior vendo bons exemplos de disciplina e educação entre as pessoas, mas ao chegarem por aqui alguns se esquecem de tudo. E são os primeiros a reclamar "dos outros". Já vi chegada de vôo internacional com gente correndo para formar fila dupla para levar vantagem no despacho de malas na conexão. E acho que todo mundo tem um caso a contar. O importante é que fazer valer tais direitos é mais uma tarefa do cidadão que das autoridades, e muitos conflitos haverá até que se imponha o direito sobre a truculência.