sábado, 30 de novembro de 2013

YOUTROUXA 0058 : " Maria do Rosário quer desmilitarizar exército"



Não é a primeira vez que reacionários saudosos da ditadura e temerosos das consequências da Comissão da Verdade atribuem à Secretária de Direitos Humanos da Presidência da República frases que não disse com o sentido de comprometer sua credibilidade. Já disseram que ela chorou ao ver um bandido morto como forma de difamá-la, de minar sua credibilidade e os direitos humanos. O caso foi parar numa investigação da Polícia Federal. 


Agora espalham nas redes sociais que ela defende a "desmilitarização do Exército", com o claro intuito de criar crise entre os militares para que tomem a iniciativa golpista. A fonte dessa "matéria" foi um blog de extrema-direita, no qual basta uma breve passada no conteúdo e comentário para ver o viés ideológico. Aí se torna indispensável também atribuir a ela elogios a Che Guevara, Pol Pot, etc, para reforçar o ódio com anti-comunismo. 


A ministra defende a desmilitarização das polícias, uma herança da ditadura, uma discussão que está sendo feita no Congresso Nacional e vem sendo apontada como solução para a redução da violência, dos "autos de resistência", das torturas, etc. 


A matéria ainda depõe contra as Forças Armadas, também falando numa tal "nota" de "setores' que tratam o país como "essa porra".Quem trata o país dessa forma não pode nem vestir uma farda, muito menos pretender "botar ordem".  

Infelizmente as pessoas desinformadas nas redes sociais olham para o título, julgam preconceituosamente a Maria do Rosário e repassam como trouxas, inocentes úteis de gente que quer destruir os avanços democráticos, atacar os direitos humanos e levar o país novamente às trevas. Segue transcrição do material, onde simplesmente, sem prova, fonte nem nada, se diz que "ela disse nesta tarde", sem o onde, como, para quem:

http://joselitomuller.wordpress.com/2013/11/28/maria-do-rosario-propoe-desmilitarizacao-do-exercito-brasileiro/

Maria do Rosário propõe desmilitarização do Exercito Brasileiro


Rosário quer desmilitarizar o exércitoA secretária nacional dos direitos humanos, Maria do Rosário, deu uma declaração polêmica na tarde hoje, ao tratar sobre a proposta de desmilitarização das Polícias Militares: “Defendo não só a desmilitarização da polícia, como também a desmilitarização do exército”.
Para Rosário, “esse negócio de militarismo, hierarquia é coisa de reaça. Isso é incompatível com a democracia”.
Para ela, que defende o desarmamento civil, “vai chegar o dia em que poderemos ter também o desarmamento militar. Não existirão mais guerras, pobreza e desigualdade. O sonho de Che Guevara, John Lenon e Pol Pot será realizado”.
Setores das forças armadas divulgaram nota, na qual afirmam que “se essa proposta for levada a sério, seremos obrigados a botar ordem de novo nessa porra!”.
Sugerido por ROBERTO NOGUEIRA

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Vasco : Vice em público no novo Maracanã

Alegria de sofredor dura pouco. No dia 10/11 o jogo Vasco x Santos bateu o recorde de público no novo Maracanã, superando Flamengo x Goiás realizado poucos dias antes. Na final da Copa do Brasil, o Flamengo quebrou de novo o recorde, fazendo do Vasco vice até na categoria "público no Maraca em jogos entre clubes".

Nesse curto espaço de tempo esse recorde foi comemorado como um campeonato. Enfim, ganharam alguma coisa, já que no futebol... Para quem só vir os dados de público acha que se trata de uma comparação isonômica entre torcidas.

Não é bem assim.
Valeu a lei do mercado: para vender mercadoria de baixa qualidade, só baixando muito o preço. Os detalhes mostram a avassaladora realidade. Roberto Dinamite terá que botar ingressos a R$ 1,99 para ver se desencalha mais a xepa.

Black Fraude : Compre hoje pela metade do triplo

Fonte: Não à nova ordem mundial
Mais de 20 anos de Código de Defesa do Consumidor, de PROCONs não conseguiram criar na população a auto-organização necessária ao combate à carestia. No fim da década de 70 pulularam associações de donas de casa, associação de moradores e cooperativas de consumo, que tinham três papéis importantes:
- promover compras coletivas no atacado com preços menores
- boicotar preços altos e informar sobre promoções verdadeiras
- educar para o equilíbrio do orçamento doméstico.

Anos de bombardeio ideológico pelo individualismo dificultaram a organização solidária, e hoje há o recurso à internet para informar melhor sobre preços. Algumas pessoas vão às lojas tendo em mãos uma pesquisa de preço. O problema é que as redes de lojas não oferecem condições de negociação para preços à vista com facilidade, embutindo os juros elevados das compras a prazo "sem juros" no preço inicial. Algumas lojas cobrem os preços divulgados pela concorrência, nos quais já existem juros embutidos, não reduzindo de fato o valor dos bens.

A Black Friday do ano passado foi uma grande farsa, onde preços foram aumentados para em seguida serem oferecidos descontos, em geral menores ou iguais aos valores acrescidos. Alguns consumidores se prepararam melhor e imprimiram os preços realizados dias anteriores e denunciando na internet, o que é um início. Há outro caso flagrante, como o do panetone brasileiro vendido nos Estados Unidos abaixo do praticado nas lojas nacionais, e não é apenas por causa dos impostos, já que custam normalmente na faixa de R$ 12 e no Natal pulam para até o dobro.

É necessária a criação de uma grande rede de consumidores para retomar as funções das associações da década de 70. Aplicativos fáceis para celulares já existem, onde basta fotografar o código de barras para instantaneamente vir uma coleta de preços para comparação. Acontece que isso atinge uma pequena faixa da população, de renda maior. E a grande massa que compra a qualquer preço, bastando a prestação caber no salário? É ela que contribui para a carestia, pois se submete aos juros altos que elevam os preços à vista.

Nos Estados Unidos os consumidores estão anos-luz à frente dos brasileiros em termos de cuidados nas compras. Os fornecedores sabem disso e a concorrência faz da Black Friday um momento de reais chances de compras mais baratas. No Brasil, onde até padarias fazem cartel e o povo é descuidado com o valor do seu dinheiro, joga-se a culpa de tudo nos impostos, que agora aparecem nos cupons fiscais, mas há o Lucro Brasil que é o grande vilão e reduz o poder de compra do dinheiro. O difícil de reverter essa situação está na falta de cooperação espontânea e solidária para desmontar as armadilhas montadas pelos fornecedores.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

GOLPE : "IG MAIL - Término da conta"

Já vi golpe vagabundo na internet, mas esse excede até pela simplicidade. Chegou no e-mail do IG e um incauto pode até pensar ser sério, já que o usa. Clica-se no link e aí fica por conta do demônio o que acontecerá ao seu computador. No mínimo, um cavalo-de-Tróia para roubar teus dados. O remetente e o site não têm nada a ver com o IG. Elementar. Segue a íntegra do golpe :

IG Mail 
05:36 (6 horas atrás)
para


-- 
Por favor, abra o link abaixo para reativar sua caixa de correio
 
http://IGMail.yolasite.com

YOUTROUXA 0057 : "Exército decide dar proteção a Joaquim Barbosa"

Incrível como tem gente que repassa desinformação sem olhar alguns detalhes essenciais. Um exemplo é a teoria conspiratória sobre a desobediência do exército à Presidente Dilma, onde se diz que o alto comando nomeou uma tropa de elite para proteger o presidente do STF, Joaquim Barbosa, azedando as relações com o Planalto. Como se fosse um ato de indisciplina golpista. Algo que faria sentido já que Barbosa, passando por cima da lei, está promovendo uma perseguição aos petistas condenados pelo processo do Mensalão. 

O primeiro detalhe é que a "notícia" que fundamenta todos os sites de extrema direita que divulgaram essa "rebelião" é de 24 de setembro de 2012, muito antes da condenação, em plena campanha de divinização de Barbosa promovida pela mídia. Hoje os tempos são outros, e até a OAB quer que ele seja investigado, foi descoberto que comprou apartamento em Miami com uma empresa que não poderia ter, que seu filho trabalha na Globo e está ficando visível sua parcialidade ao sentar-se em cima do processo do Mensalão Tucano esperando pela sua prescrição. Requentaram uma matéria que pode até se encaixar na atual conjuntura, já que Barbosa vem agindo fora da lei e fazendo inimigos em todo lado, exceto na mídia. Quem precisa de proteção é a democracia, e para essa também não são necessários militares. 

Na época os setores mais reacionários estavam preocupados com a instalação da Comissão da Verdade, como mostra a matéria original do site http://ucho.info/exercito-decide-dar-protecao-a-joaquim-barbosa-e-cria-zona-de-conflito-com-dilma-rousseff .

Especialistas em botar chifre em cabeça de cavalo e inventar intrigas, os sites de extrema-direita partem do pressuposto da imbecilidade do seu público para colocar esse tipo de "verdades". E os trouxas anti-PT, anti-Dilma e anti-Lula não pensam duas vezes (creio que nem uma vez) na hora de compartilhar nas redes sociais essas mentiras que acabam depondo contra a própria credibilidade. Segue o texto da "notícia":


"Exército decide dar proteção a Joaquim Barbosa e cria zona de conflito com Dilma Rousseff 

Temperatura alta – Azedou a relação entre o Palácio do Planalto e a cúpula do Exército brasileiro. Sem que a presidente Dilma Rousseff fosse consultada, o Exército destacou os melhores e mais preparados oficiais da inteligência para dar proteção diuturna ao ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do Mensalão do PT (Ação Penal 470). Ao criar o esquema que dá garantia de vida a Joaquim Barbosa, que tem ojeriza a esse tipo de situação, o Exército, que se valeu de militares cedidos à Agência Brasileira de Inteligência, acabou passando por cima da Presidência da República, do Ministério da Justiça e da cúpula da Polícia Federal, que por questões óbvias não foram consultados, mas a quem, por dever de ofício, caberia a decisão. Outros dois ministros do Supremo, Ricardo Lewandowski e José Antônio Dias Toffolli, reconhecidamente ligados ao Partido dos Trabalhadores e a alguns dos seus mais altos dirigentes, também contam com escolta, mas da Polícia Federal. O esquema criado para o ministro-relator não se limite à proteção física, mas inclui também monitoramento constante de ambientes e do sistema telefônico utilizado pelo magistrado. A proteção ao ministro Joaquim Barbosa foi uma decisão tomada pelo alto comando do Exército e pelo general José Elito, do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. Esse episódio, que tem como palco a necessária proteção a Joaquim Barbosa, deve aumentar a tensão entre Dilma e os militares, que ganhou reforço extra com a criação da Comissão da Verdade, que investigará apenas os crimes cometidos por agentes do Estado durante a ditadura, deixando de fora os protagonizados pelos terroristas que chegaram ao poder no vácuo de um discurso fácil, repetitivo e mentiroso. de:http://ucho.info/ ]p/ http://gargigi.blogspot.com.br/"

Concessões de Dilma mostram incompetência demo-tucana

Em 1997 a Vale, segunda maior mineradora do mundo, foi vendida pelo governo brasileiro por R$ 3,3 bi. Não voltará mais aos brasileiros. Em um mês o governo Dilma conseguiu "luvas" para arrendar um poço campo de petróleo e aeroportos de mais de R$ 30 bi. Depois de alguns anos voltarão a ser públicos. As privatizações dos anos 90 custaram 540 mil desempregados. As atuais concessões gerarão milhares de empregos. Apesar da insistência, o que está sendo feito hoje, por mais que questionemos, não é a entrega a preço de banana do patrimônio público dos anos FHC. Privatizar é vender. Conceder é alugar ponto comercial.

Se não houve dolo nas privatizações de Collor, Itamar e FHC, então há que se admitir que Dilma foi bem mais competente que eles. Não defendo privatizações, mas o fato é que as executadas no atual governo tiveram cuidados em maximizar os ganhos para o Tesouro Nacional sem entregar nada. E de quebra resolver problemas crônicos de falta de investimentos em vários setores.

A última jogada eficiente de Dilma foi a concessão da BR-163, a Rodovia da Soja, que reduzirá custos de transporte no centro-oeste, interligará modais de transporte, etc. Das 7 empresas que concorreram a Odebrecht foi a vencedora, oferecendo um pedágio por km 52% abaixo do lance inicial, que ficará em R$ 2,63 para cada 100 km, coerente com o preço das demais rodovias federais concedidas. Detalhe: essa rodovia possivelmente terá menos tráfego que outras mais rentáveis. E mais: daqui a 30 anos termina o "aluguel" e a rodovia volta ao controle do governo federal. Não foi vendida nem doada.

Enquanto isso as rodovias de São Paulo, governado pelo PSDB/DEM há 20 anos, têm pedágio na base de R$ 16 para cada 100 km. E são as mais transitadas do país, permitindo arrecadações gigantescas. Recentemente os valores foram reajustados. E são essas pessoas que encarecem os transportes que enchem a boca para falar em "custo Brasil"... Em São Paulo, falando-se de pedágio, a única coisa que está reduzindo é a distância entre os postos de cobrança. Experimente calcular quanto se paga de pedágio com este aplicativo: http://www.mapeia.com.br/





quarta-feira, 27 de novembro de 2013

MÍDIA BANDIDA 0037 : BAND usa aposentados do BB para atacar Pizzolato

Reporcagem da Band manipula ato de aposentados do BB
Um grupo de 150 aposentados do Banco do Brasil se reuniu ontem em frente à sede da PREVI, em Botafogo, Rio de Janeiro, para protestar contra o fim de um benefício que reduzirá os benefícios a partir de janeiro. As faixas dos manifestantes não continham absolutamente nada falando de Henrique Pizzolato, ex-funcionário do BB e ex-dirigente da PREVI, condenado no processo do Mensalão e atualmente foragido.

Apesar de convocada, a mídia não compareceu para entrevistar, mas um carro da Band foi visto algumas vezes circulando na área. Para surpresa geral, a matéria que saiu no site da emissora foi distorcida para dizer que o protesto era contra o Pizzolato e também contra a perda do benefício. A matéria é tão ruim que deixa entender que o protesto foi na porta da sede do BB, não da PREVI.

Isso é bom acontecer porque ainda há muita gente crédula achando que a mídia está ao lado do povo e das suas lutas. Só se coloca ao lado dos mais fracos quando há interesse em fazer política com isso. No mais, prevalece a visão dos que patrocinam seus telejornais.

Papa Francisco chama capitalismo desenfreado de "nova tirania"

No primeiro grande documento feito pelo papa Francisco, Evangelii Gaudium, há a clara condenação à idolatria ao dinheiro, a exortação aos políticos para que garantam a todos os cidadãos trabalho, atendimento de saúde e educação dignos" e aos ricos que compartilhem riquezas.

A "heresia" do papa não para por aí: "Do mesmo modo modo como o mandamento "Não Matarás" estabelece um claro limite para salvaguardar o valor da vida humana, hoje nós também devemos dizer "Não deverás" para uma economia de exclusão e desigualdade. Esse tipo de economia mata".

Para aumentar a probabilidade de durar pouco tempo à frente do império católico, disse ainda: "Como pode ser que não seja assunto para notícia quando uma pessoa sem teto morre por abandono ás intempéries, mas é notícia quando o mercado de ações perde 2 pontos?"

O papa pede ainda mudanças no sistema financeiro e alerta que a distribuição desigual das riquezas inevitavelmente conduz à violência.

Do texto, destacamos:
"56 - Enquanto os lucros de poucos crescem exponencialmente, os da maioria situam-se cada vez mais longe do bem-estar daquela minoria feliz. Tal desequilíbrio provém de ideologias que defendem a autonomia absoluta dos mercados e a especulação financeira. Por isso, negam o direito de controle dos Estados, encarregados de velar pela tutela do bem comum. Instaura-se uma nova tirania invisível, às vezes virtual, que impõe, de forma unilateral e implacável, as suas leis e as suas regras. Além disso, a dívida e os respectivos juros afastam os países das possibilidades viáveis da sua economia, e os cidadãos do seu real poder de compra. A tudo isto vem juntar-se uma corrupção ramificada e uma evasão fiscal egoísta, que assumiram dimensões mundiais. A ambição do poder e do ter não conhece limites. Neste sistema que tende a fagocitar tudo para aumentar os benefícios, qualquer realidade que seja frágil, como o meio ambiente, fica indefesa face aos interesses do mercado divinizado, transformados em regra absoluta."

Em relação às mulheres, aborto, tudo continua como está, embora Francisco ache que as mulheres devam ter mais poder. 

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

FANOAPÁ 0051 - "Espuma assassina abate mil galinhas por minuto"

A Falta de Noção que Assola o País (FANOAPÁ) está ganhando dimensões epidêmicas com equívocos em nome de defesa dos animais. Parece que tem gente acordando para o fato de que as carnes dos balcões frigoríficos dos supermercados não foram geradas em outra sala do prédio, mas passaram por um processamento que há milênios se faz para garantir proteína animal aos humanos. Da flecha, pedra ou lança usadas por tribos nômades para matar animais e deles se extrair a carne a "civilização" "evoluiu" para a criação industrial de porcos, frangos, bovinos e outros que são engordados e mortos em linha de montagem. 


Ser contra comer animais é justo para quem assim pensa e respeitável. É uma opção, já que o mercado não disponibiliza alternativas protéicas que mudem os hábitos alimentares humanos. Ser contra criar animais em situação degradante, que cause sofrimento, deveria ser unânime, seja para fins alimentícios ou pesquisas científicas. Já sobre as finalidades disso, ou seja, matar o bicho para comer, parece que os carnívoros não se importam muito, ou seja, querem carne em quantidade, qualidade e saudável (mesmo que para alguns isso não faça sentido).

Na esteira da impune ação contra um laboratório que usava cães da raça Beagle em pesquisas, por razões  "humanitárias" e políticas (Luiza Mell será candidata a deputada), agora se fala em atacar criadores de perus, na iminência do Natal, centros de pesquisa, etc. Já tem economista defendendo aumentar o preço do leite e da carne para inibir consumo e combater o aquecimento global, pois a flatulência dos animais gera gases do efeito estufa. E se divulga bobagens também, como a que quer fazer os carnívoros acreditarem que se usa uma espuma química que mata 1000 aves em um minuto como forma de abate para alimentação humana. 

Para quem quer impedir que se coma animais pouco importa se todos serão infectados e morrerão trazendo impactos de fome ou doenças para quem os consome. Cuidar da saúde das criações e conter epidemias parece óbvio para quem está na lógica carnívora. A tal espuma assassina foi criada para eliminar com rapidez aves infectadas, evitando o espalhamento de doenças como a gripe aviária, que também mata humanos, carnívoros ou não. É o coroamento da falta de noção dos que "gostam mais de bicho que de gente". Humanos podem morrer envenenados, parece ser o sentido da coisa, afinal, seriam "estúpidos e doentios", como diz o texto. 

Para sensibilizar como absurdo os menos informados e criminalizar os "seres humanos assassinos", fazem circular na internet um texto com uma foto onde se diz que a espuma é para abate de aves para consumo, não como medida extrema profilática em caso de contágio por doença infecciosa, que é o real sentido da inovação. A carne não poderia ser consumida porque tudo tem que ficar coberto de espuma por 3 dias para haver a desinfecção. Não precisam enganar as pessoas para defender os animais, pois sendo a luta justa pode ser ganha com argumentos, não com sensacionalismo barato. Seguem o link da matéria pelo lado dos criadores e o texto sem noção que rola na internet. 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"...Até hoje, as indústrias e produtores precisariam realizar o abate manual das aves potencialmente infectadas, uma a uma, no caso da identificação de um foco de gripe aviária, por exemplo. Além de correrem risco de se infectar, as pessoas ainda poderiam transmitir a doença a outras aves.
O produto utilizado na espuma não é tóxico ou nocivo ao homem. Uma espécie de ventilador espalha rapidamente a nuvem branca e densa. Pequenas partículas entram no sistema respiratório e asfixiam os animais. O fabricante garante que não há sofrimento.
A espuma e os frangos mortos devem ficar no aviário por três dias, para que os desinfetantes presentes na fórmula façam efeito.
A espuma reduz também o tempo necessário para a eliminação dos frangos. A rapidez na resposta a um foco de uma doença contagiosa é essencial para minimizar os danos econômicos, especialmente considerando que males como a gripe aviária podem exigir a eliminação de todas as aves em um raio de quilômetros.
http://www.brasileconomico.com.br/noticias/espuma-assassina-abate-frangos-doentes-em-sc_78471.html

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Esta foto foi tirada em Santa Catarina, representa mais uma novíssima invenção do sistema de exploração animal.
Em 15 minutos, usando apenas espuma (aquela usada pra lavar carros), 15.000 aves são mortas por asfixia. Engenheiros, agrônomos e empresários assistem animados o sucesso da mais nova técnica.

Isso não é normal! Isso não é saudável! Isso não é natural!
Sem dúvida nenhuma, uma das faces mais perversas e doentias do sistema capitalista moderno é a (moderna) pecuária.
Não somos mais uma espécie de caçadores. Não somos índios que entram na mata, caçam um macaco (livre) e depois comem sua carne: isso é um comportamento natural. Matar 15.000 aves em 15 minutos é um comportamento doentio.
Tentar alimentar 7 bilhões de animais humanos com a morte anual de 70 bilhões de animais não-humanos (apenas considerando os animais terrestres) é um comportamento estúpido, doentio e insustentável.
É uma das mais graves evidências da nossa atual crise.
Estamos numa profunda crise! Vivemos (sem nem sempre perceber completamente) num contínuo estado de violência, guerra e destruição.
Quem mata 15.000 vezes em 15 minutos (e considera isso um avanço) jamais conseguirá encontrar paz e felicidade. Se nossa inteligência está nos tornando apenas mais ferozes, mais mortais, mais sanguinolentos; então muita pouca esperança podemos ter (infelizmente).
Vegetarianismo não é a solução para todos os nossos problemas. É apenas uma opção (bem fácil por sinal) de tentar tomar um outro rumo. Outra forma de se relacionar com este planeta, com os outros animais que também habitam este planeta e com nosso próprio corpo.
É você dizer: eu não quero ser uma espécie que mata 15.000 vezes em 15 minutos. Eu quero fazer bem 15.000 vezes em 15 minutos. Eu quero fazer bem para 15.000 pessoas, bichos e plantas em 15 minutos – e não destruí-los.
Progredir é se tornar mais feliz e aumentar o grau de felicidade no mundo.
Criar bombas, máquinas de guerra e máquinas de extermínio em massa é regresso, é infelicidade, é estupidez.
Observe com mais clareza e sinceridade seus próprios comportamentos.
Você pede paz, justiça, honestidade. Clama por igualdade, pelo fim da violência e da exploração, mas será mesmo que você está agindo assim?
Matar, escravizar, testar medicamentos, torturar e explorar de todas as formas possíveis os outros, apenas porque eles não são iguais a você? Apenas porque eles são mais fracos do que você?
Isso é massacre. Isso é guerra. Isso é apenas infelicidade se multiplicando 15.000 vezes a cada 15 minutos. E isso precisa ter fim.



segunda-feira, 18 de novembro de 2013

YOUTROUXA 0055 : "Médica cubana prescreve remédio para cavalo"


Apesar de 84% da população aprovar o programa Mais Médicos, ainda há uma guerrilha de insatisfeitos que, na impossibilidade de defender que quer que os mais necessitados morram de doenças e desapareçam da frente deles, ficam inventando mentiras que trouxas repassam por puro preconceito, sem buscar informações, como forma de denegrir os profissionais estrangeiros como "despreparados", "ignorantes", etc. E defender o Revalida apenas para os gringos como reserva de mercado e nenhuma preocupação com a qualidade dos médicos formados no Brasil. 
Ainda bem que os médicos cubanos têm muito a ensinar a alguns brasileiros, em especial aos que batem o ponto e ganham sem trabalhar, atendem mal na rede pública, encaminham pacientes para seus consultórios privados, pedem exames desnecessários, etc, etc. 

A droga Methocarbamol é um relaxante muscular para seres humanos, o que os que replicam a imagem ao lado não são. Estão mais para o uso veterinário da droga, que TAMBÉM pode ser usada em cavalos, cães e gatos. O medicamento é aprovado pelo Food and Drugs Administration (FDA) dos Estados Unidos para uso humano. Não precisa o Dr. Padilha explicar. Basta procurar a verdade para ver que essa fraude só é prescrita para burros. Segue a verdade:

Exclusivo : Polícia recebe o Vasco no Galeão

Policiais armados com fuzis dão cobertura aos atletas do Vasco
Talvez a equipe de futebol do Vasco tenha sido vítima do mesmo atraso que sofri no Galeão, de mais de uma hora parado na pista aguardando local para desembarque, e assim a torcida e a imprensa não tenham aguardado no local para recebê-los.

Esse infortúnio aeroportuário adicional para o grande clube do passado trouxe a complicação do Blog do Branquinho estar presente e não deixar passar em branco essa situação constrangedora, relatada com imparcialidade e isenção neste post. E exclusividade, já que nem a torcida ou a mídia se interessam mais por eles.

O fato é que o time vascaíno saiu direto do desembarque no Terminal 1 escoltado por policiais armados com fuzis. O presidente do clube, Roberto Dinamite, apesar de ter quase chegado à rua, mudou seu caminho e deve ter saído em outro veículo.

Nem torcida, nem imprensa
Alguns jogadores saíram em veículos particulares que os aguardavam. Como não conheço nenhum jogador do clube foi impossível saber se as pessoas que saíram no ônibus com escolta de carros do Batalhão de Choque da PM eram atletas.
Vicemóvel

A polícia não estava lá à toa: agora o Vasco afundou mais na tabela da Série A do Campeonato Brasileiro e é o vice na zona de rebaixamento, em 18o lugar. A diretoria do clube já considera a possibilidade de violência por parte da torcida, humilhada com a segundona pela segunda vez no mandato de Roberto Dinamite.

Como o sofrimento não pode parar, ainda há esperanças remotas de sair do sufoco. O próximo jogo será contra o já campeão Cruzeiro, com grande chance de derrota. Depois vem a galinha morta, o Náutico, que está entregue à sorte há várias rodadas perdendo de todo mundo.

Ônibus do Vasco sai do Galeão escoltado pela PM
O último jogo será contra o Atlético Paranaense, que poderá estar jogando suas últimas chances de ir à Libertadores, caso venha a ser derrotado pelo Flamengo na Copa do Brasil. Se fizer 3 pontos prováveis nesses jogos vai a 41, e continua no rebaixamento. Se conseguir 7 pontos, na ousadia de vencer o Cruzeiro ou Atlético também e empatar com um deles, chegará a 45 pontos, dependendo de outros resultados para escapar do rebaixamento. Uma vitória e um empate, ou seja, 42 pontos, podem não ser suficientes para escapar, dependendo do saldo de gols. Ganhar todas seria caso para ateus acreditarem na providência divina. Iriam a 47 pontos e certamente não haveria uma cratera nas colinas de São Januário.

Parece que cada vez mais a Polícia terá mais presença nos deslocamentos do time. Armados com fuzis, seria recomendável que a diretoria do clube exigisse do também vascaíno governador Sérgio Cabral que haja triagem na tropa, deixando longe  dos gatilhos soldados eventualmente torcedores do Vasco.

domingo, 17 de novembro de 2013

FANOAPÁ 0050 : "Obrigado Joaquim Barbosa"... pelo quê mesmo?

Fiquei fora do ar por 3 dias sem internet nem TV. Voltando ao mundo, encontro as repercussões do tal "mensalão do PT". A primeira foi uma imagem do presidente do STF, Joaquim Barbosa, onde se agradece por haver "honrado o dia da República". Em seguida liguei a TV e vi o jornalista da Globo Merval Pereira pouco à vontade dizer que Genoíno tem razão ao pedir prisão domiciliar por razões médicas. Que José Dirceu tem direito a fazer cumprir de imediato sua sentença de regime semi-aberto. Que Pizzolato tem base jurídica para não ser julgado na Itália pela sua dupla cidadania. E abro o jornal vendo a coluna da jornalista Dora Kramer (artigoTampa da Panela) onde afirma que o julgamento não interessa eleitoralmente a Dilma... nem a Aécio Neves, pois em 2014 o mensalão tucano estará na pauta política!


Afinal, entre mortos e feridos, qual o saldo do Mensalão? O primeiro, a favor da democracia, foi a sociedade questionar o STF e por tabela a justiça e os juízes, acabando com a aura de superioridade ética e intocabilidade que tacitamente gozavam. O segundo foi a exposição da mídia como "parte interessada", propondo campanha de linchamento, dando ao julgamento ares de político e de exceção, o que está sendo agora explorado pelos condenados que são do PT. Em terceiro, e que talvez tire o sossego de Dora e Merval, militantes pró-tucanos, é que o resultado pode ser um bumerangue para os interesses que defendem.

O PT foi atingido? Desmoralizado? Vai perder votos? Creio que não como gostariam seus inimigos com mais noção de conjuntura. Em pleno escândalo, mesmo com a campanha partidária da mídia, Lula se reelegeu e fez sua sucessora que tem grandes chances de se reeleger. O PT ganhou a cidade de São Paulo e cresceu bancadas. Seus "presos políticos" não foram tão punidos como pretendiam os algozes. Genoíno pode vir a cumprir pena livre de dia e em casa à noite. Dirceu pode vir a cumprir a pena em regime aberto, ou seja, vida normal com alguns compromissos de apresentação à justiça, por falta de vagas para o execução de sua pena em regime semi-aberto. Delúbio Soares vai pelo mesmo rumo. E o único que iria para a cadeia, mesmo com o argumento forçado do "dinheiro público" da empresa privada Visanet, Henrique Pizolatto, se mandou para a Itália onde deverá que passar seus últimos dias no exílio.

Em cana mesmo estão os condenados do núcleo central do Mensalão, como Marcos Valério. Que poderão vir a cumprir penas maiores, dependendo dos desdobramentos da nova caixa de Pandora que se abre: o julgamento da mãe de todos os mensalões, o dos tucanos mineiros. Que agora será cobrado por mais de 1 milhão de petistas e outros indignados com a farsa, já que o ânimo do judiciário não parece o mesmo aplicado contra o PT e se faz corpo mole para que prescreva a ação. Milhões enxergam, ao contrário de Têmis, deusa grega da Justiça, que o judiciário e a mídia atuam ideologicamente a favor de um grupo em detrimento de outro.

Para a população que se encheu de ódio ao PT pela campanha midiática diuturna do Mensalão, o caso está encerrado com a aparente punição dos responsáveis. Uns poucos vão dizer que falta prender Lula, possivelmente por considerarem criminoso um homem nordestino pobre ter chegado à presidência e ter iniciado o melhor ciclo de promoção da justiça social da história. Para eles, Lula é "o chefe da quadrilha".

Enquanto a massa da direita comemora ou quer mais, a mídia parece ter pisado no freio. Com a campanha petista pelo julgamento dos mensaleiros do PSDB, com o escândalo dos trens em São Paulo mostrando cada vez mais o partidarismo da justiça e da mídia, a impunidade do mensalão do DEM em Brasília, a corrupção na prefeitura paulista e outros casos que agora pularão para a luz dos holofotes, ficar pedindo punições mais severas será danoso a Eduardo Azeredo (ex-governador mineiro) e outros que fizeram campanha ou se apropriaram, comprovadamente, de dinheiro público.

Pelo desfecho do caso Mensalão, um analista de verniz maquiavélico diria que Dilma mandou Janot (ela não manda em tudo?), Procurador Geral da República, acelerar as prisões, para não contaminar o clima de 2014. Mais: sabiamente para botar na berlinda o PSDB e o DEM. Mais  ainda: para unificar o PT em torno dos seus "mártires", resgatando suas biografias de luta, fazendo circular o sangue circular nas veias do militante comum, que estava adormecido por discordâncias, voltando a ser "mil e tantos". Coincidentemente as condenações vieram na semana logo após o Processo de Eleições Diretas do PT (PED), que energizou os filiados do partido em discussões políticas. Merval e Dora podem ser parciais, mas são muito inteligentes e somatizaram essas preocupações em suas análises.

Obrigado, Joaquim Barbosa! Pelo quê mesmo? É a tal da Falta de Noção que Assola o País fazendo suas vítimas, que devem estar até agora embriagadas por um julgamento parcial, mesmo sem imagens de petistas algemados no camburão. Não têm capacidade de entender que o Mensalão virou um bumerangue para os que pretendiam criar um fato político capaz de enterrar o PT. Também escapou aos "vitoriosos" que o tribunal, onde os juízes foram nomeados por Dilma e Lula em sua maioria, julgou "republicanamente" contra os interesses dos que os nomearam, e que essa pizza mal cozida pode ser considerada satisfatoriamente como "justiça". Acabou o "Mensalão do PT", com os prejuízos há muito precificados politicamente, e a fila agora tem que andar. É a tal da "vitória de Pirro"

terça-feira, 12 de novembro de 2013

YOUTROUXA 0054 : "Fui demitido para dar vaga a um médico cubano"

Apesar da acachapante vitória do governo contra as entidades e profissionais médicos que passaram ao povo a imagem de intolerantes com o atendimento a pobres, a guerrilha continua, com argumentos falsos, difusão de mentiras, buscando criar clima de confronto e acusar Dilma, o PT e o programa Mais Médicos de "fraude".

A imagem ao lado tem quase 3 mil compartilhamentos, mas não permite comentários onde está colocada no Facebook. Fala de uma hipotética médica que diz ter perdido o emprego para acomodar um médico cubano por economia de custos de prefeitura. Diz ter reclamado ao CREMERJ. Mas não reclamou junto ao Ministério da Saúde, que sabendo do problema punirá a prefeitura que desrespeitar as regras do convênio, ou seja, médico estrangeiro é só para onde falta médico, não para substituir brasileiros.

E assim a vida vai, com gente acreditando nas coisas, repassando, ficando com peninha, quando as regras são claras mas o mais importante é fazer política. E nem se sabe se o caso é real, caberia investigar se existe a profissional, etc. Segue o link da matéria que fala da proibição de demissões para substituição: http://www.blog.saude.gov.br/maismedicos-nao-permite-que-prefeituras-demitam-medicos-que-ja-atendiam-na-atencao-basica/

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Brasil : Eu, Ele, Nós e a prosperidade

No Facebook a elite se desnuda, e alguns padrões parecem convergir para três categorias quando o assunto é demonstrar prosperidade, essencial ao exibicionismo:
- a turma do EU : pensam que o individualismo é a chave do sucesso, que conquistaram tudo por mérito e não têm que dividir nada com ninguém.
- a turma do ELE : pensam que um deus deu tudo, ou foram ungidos, ou um emissário divino lhes abriu o caminho para o sucesso, e mais ninguém.
- a turma do NÓS : pensam que as conquistas são coletivas e que o sucesso pessoal vem de apoios que tiveram de instituições ou governo que botaram as escadas para que daí subissem.

A turma do EU é fácil de ser identificada, porque desce às raias do ridículo ao defenderem seus pontos de vista egóticos. Rechaçam qualquer solidariedade. Malthusianos e meritocratas, acham que todos poderiam chegar ao topo da riqueza e poder se trabalhassem duro, e quem não conseguir isso naturalmente deveria apodrecer e morrer. São contra programas de inclusão social. São contra impostos para não pagarem a conta da redução de desigualdades. São contra cotas de todo tipo. Não querem dividir espaços em aviões, restaurantes, festas, hotéis e outros lugares que consideram privativos das pessoas de "sucesso".

A turma do ELE é mais discreta, mas mesmo sendo evidente a correlação entre ascensão social dos últimos 10 anos e políticas públicas e sociais, atribuem a prosperidade à divindade. Não costumam comprar muitas brigas, e postam mais mensagens humanistas, e por essa vertente às vezes contribuem com a turma do NÓS para divergir da turma do EU. Para eles não existem Bolsa Familia, Prouni, ENEM, Mais Médicos, valorização salarial, crédito mais barato, Minha Casa, Minha Vida, enfim, tudo foi ELE que fez.

A turma do NÓS não é monolítica. Pelo contrário, o NÓS chega às raias do "Poucos". Unem-se para atacar a turma do EU taticamente, embora uma parte se una a eles para combater o NÓS governista com as figurinhas geralmente sensacionalistas e mentirosas compartilhadas mais comentários arrasa-quarteirão. Nem quando se trata de avanços que poderiam ser celebrados por todos. Tendem ao "pequeno-mundismo", ou seja, brigar por vírgulas e pontos ao defender assuntos restritos. Uns acham que os programas sociais criam oportunidades em meio à lógica da exclusão. Outros acham que só uma revolução mudaria as coisas, e todo o resto é empulhação.

E assim parece se estruturar o jogo do Facebook. Logo vai ter gente migrando para outra rede social, porque, segundo a turma do EU, está se "orkutizando", ou seja, tem muito pobre falando coisas que os horrorizam. 

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Mídia Bandida 0036 : Ocultam que as TVs têm menos credibilidade que a Polícia

Na recente pesquisa Índice de Confiança na Justiça Brasileira (ICJ Brasil) da Fundação Getulio Vargas foi apurado que o descrédito na instituição policial cresceu de 61,5% para 70,1% comparados os primeiros semenstres de 2013 e 2012. Isso foi amplamente divulgado na mídia.

A mídia, intencionalmente, escondeu que as pessoas confiam menos na TV que na Polícia; 71% de desconfiança! Nos jornais a desconfiança é de 62%. Os campeões de desconfiança (a pesquisa já pegou os reflexos das manifestações de junho2013) são os partidos políticos, com 95,1%, e o Congresso Nacional , com 81,5%. Nessas cinco instituições a desconfiança aumentou no período.

"O Índice de Confiança na Justiça brasileira – ICJBrasil – é um levantamento estatístico de natureza qualitativa, realizado em sete estados brasileiros, com base em amostra representativa da população. O seu objetivo é acompanhar de forma sistemática o sentimento da população em relação ao Judiciário brasileiro.
Retratar a confiança do cidadão em uma instituição significa identificar se o cidadão acredita que essa instituição cumpre a sua função com qualidade, se faz isso de forma em que benefícios de sua atuação sejam maiores que os seus custos e se essa instituição é levada em conta no dia-a-dia do cidadão comum. Nesse sentido, o ICJBrasil é composto por dois subíndices: (i) um subíndice de percepção, pelo qual é medida a opinião da população sobre a Justiça e a forma como ela presta o serviço público; e (ii) um subíndice de comportamento, pelo qual procuramos identificar se a população recorre ao Judiciário para solucionar determinados conflitos.
Sob a coordenação da Prof. Luciana Gross Cunha, o ICJBrasil é publicado trimestralmente, por meio dos seus relatórios, pela DIREITO GV." Fonte: FGV




terça-feira, 5 de novembro de 2013

Mídia Bandida 0035 : Globo e as "faixas erradas" de ônibus do DF

Tive o desprazer de ver agora há pouco uma matéria no BOM DIA BRASIL sobre faixas exclusivas de ônibus e economia de tempo para o usuário onde o jornalismo desonesto e o teatro dos apresentadores foi evidente na má-fé em relação ao governo do Distrito Federal, por acaso... do PT! A matéria "faixas de ônibus e portas estão de lados opostos" é criminosamente difamatória. 

A matéria até falou que Brasília já tem (salvo engano) 55 km de faixas exclusivas em funcionamento. Mas foi aberta com a repórter Juliana Morrone rindo e contagiando Chico Pinheiro e a outra apresentadora dizendo que em Brasília a faixa foi feita do lado errado, que seria desplanejamento, etc. A imagem mostrou uma avenida onde o canteiro central está com as estações prontas e mesmo com a desonestidade da matéria capciosa em algum momento se falou que "os ônibus chegarão em dezembro". Nenhuma autoridade do DF foi procurada, o que é básico quando se faz uma denúncia grave como essa que o telejornal forjou.

Em nenhum momento se falou que o sistema adotado de BRS será similar ao da Transoeste, no Rio, onde os ônibus trafegam pela esquerda e têm portas desse lado. As imagens no Rio e São Paulo mostram apenas os ônibus com portas do lado direito. Ou seja, uma matéria sob medida para atingir o governo de Agnelo Queiroz, do PT, cravando-lhe a pecha de incompetente. Tecnicamente não há nada errado. O "timing" para a chegada dos ônibus é que falhou.

Já a matéria sobre o caos após a interrupção do viaduto da Perimetral, no Rio, teve imagens aéreas e poucos comentários. A Globo é investidora no projeto Porto Maravilha, e não irá atacar muito o prefeito Eduardo Paes (PMDB) porque é parceira com a construção do Museu do Amanhã pela Fundação Roberto Marinho.

Que a Globo queira ser um panfleto partidário e use seu jornalismo para fins políticos, tem o direito, pela liberdade de expressão, respeitando porém a legislação partidária. Que tenha o poder de contaminar o país inteiro para as suas "verdades" com uma rede de rádios, tvs, jornais, tvs a cabo e o escambau, aí nenhum país do mundo honesto admite.

Que venha a Lei de Meios no modelo argentino para  desmontar esse poder paralelo, antidemocrático e manipulador. Na Argentina o grupo Clarín, depois de anos tentando manipular e derrubar governos, finalmente irá se enquadrar na Ley de Medios, a bem da democracia. http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2013-11-04/grupo-clarin-apresenta-plano-para-se-adequar-a-nova-lei-argentina.html

Resta saber de o GDF vai passar recibo disso. A matéria acusando de incompetência foi longa, de conteúdo devastador. Caso para direito de resposta desmoralizando essa prática desonesta de fazer imprensa.


domingo, 3 de novembro de 2013

Black Bloc : A busca pela origem da violência

Na semana passada o governo federal  chamou secretários de segurança estaduais para propor ações conjuntas contra a violência que vem esvaziando manifestações em algumas cidade, com atos de destruição de patrimônio público e privado, enfrentamentos com a polícia, etc.

Ao mesmo tempo que o governo federal diz não poder deixar de reprimir a violência, quer entender as raízes do  movimento para buscar soluções, segundo Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Presidência da República. Como dialogar com um grupo que não tem cara, não tem propostas e nem interlocutores? A questão parece ser bem mais complexa, e as ações violentas continuam sem que se busque soluções. E dão margem a qualquer grupo marginal se confundir com aqueles que realmente têm algo a protestar e não dialogam com a sociedade.

"“...A linguagem aparente, insisto, aparente, é muito da destruição, da negação. Agora nós precisamos de alguma forma ter alguma ponte. Estamos buscando com muita força esse diálogo para que consigamos achar uma saída eficaz porque a repressão é necessária, mas só reprimindo não vamos resolver na profundidade o problema”, disse.
Carvalho disse que concorda com a afirmação de algumas pessoas sobre a população ter ficado, de certa forma, “refém” do movimento. “O próprio esvaziamento das manifestações mostrou isso. A população começou a recuar frente à violência”, disse. “O que nós queremos é impedir a violência, mas, ao mesmo tempo, ir à raiz do problema para entender essa questão e tomar medidas que resolvam”"... (fonte: Agência Brasil)
De certa forma  a presidente Dilma parece estar chegando perto das origens. Seu repúdio à morte de um jovem negro, via Twitter, pode ter atingido o âmago da questão: a política de gueto que leva pretos e pobres ao desrespeito pelo Estado, em especial pela polícia:
"“Nessa hora de dor, presto minha solidariedade à família e aos amigos. Assim como Douglas, milhares de outros jovens negros da periferia são vitimas cotidianas da violência. A violência contra a periferia é a manifestação mais forte da desigualdade no Brasil”, escreveu a presidenta."
O conceito Black Bloc virou uma espécie de Bombril para todas as finalidades de contestação, inclusive por fascistóides, mas se formos atrás de como apareceram vamos voltar à repressão policial ao Movimento Passe Livre, em junho. Apanharam na terça, e na quinta houve a reação, sem cara, anárquica, porque o alto preço da passagem é mais uma componente que oprime os brasileiros do gueto. E o ódio à repressão policial serviu de combustível para o que veio depois. 
Se Dilma quer saber onde está o núcleo do problema deve seguir seu pensamento e atacar o problema na origem: a periferia não aceita mais passivamente, como os judeus nos guetos do nazismo, ser institucionalmente humilhados. Pouco adianta ter havido um ascenso social, que beneficiou grandes contingentes favelados das grandes cidades, se as pessoas não forem respeitadas como cidadãs. Seu governo tenta reverter 500 anos de desigualdade e violência contra a periferia, e buscar soluções para eliminar o muro invisível entre o asfalto e a favela seria cabível. 
No Rio, em especial, o crime organizado mantinha uma estrutura de confronto com o estado opressor. A polícia era recebida a bala, o crime organizado tinha tentáculos na estrutura policial, judiciária e até no legislativo, e fazia nos territórios ocupados a própria lei, igualmente opressora porém com aspecto de guarda-chuva protetor sobre os mais oprimidos. 
A política de pacificação, objetivando dar segurança ao Rio para grandes eventos como a Copa do Mundo, tirou poder territorial dos criminosos, tentou construir uma nova relação com as comunidades mas ficou no meio do caminho, porque o tratamento de gueto continua. Até as manifestações culturais foram proibidas, como o funk. O gueto já viu isso outras vezes, quando se criminalizou o samba, a capoeira, os cultos afro, etc. 
No Rio as ações anti-Copa parecem dizer que a cidade não pode ser segregada em áreas "dos cidadãos", áreas "pacificadas", áreas "dominadas pelo tráfico" e "áreas da milícia". A cobrança pela verdade no caso Amarildo, que ganhou o país e o mundo, é uma ferida aberta pela qual se enxerga o tratamento absurdo responsável por cerca de 6 mil "amarildos" todos os anos. O governador Sérgio Cabral é visto como o responsável maior por tudo isso, o que pode justificar a força do movimento "Fora Cabral", a ocupação da sua rua, etc. A denúncia da chacina na Favela da Maré, exposta em todos os viadutos da Avenida Brasil, também cobrou providências além da busca dos culpados, mas de respeito às pessoas das comunidades.


Dilma tem que entender esses sinais e atacar o problema de frente. Há uma dívida no campo dos direitos humanos em relação à população da periferia. É preciso rigor contra as torturas, as batidas policiais ilegais, as milícias, e respeitar o direito à organização sócio-cultural nas comunidades. A emancipação da periferia como parte cidadã no tecido social é o preço a pagar para a redução da violência em todos os sentidos. São 513 anos do mesmo, Dilma. A coragem para enfrentar e mudar essa realidade é a chave do sucesso. Não dá mais para fazer de conta que essa dívida não existe. 





sábado, 2 de novembro de 2013

Finados : Reflexão sobre a morte banalizada no Rio

2 de novembro. Feriado nacional com o objetivo de homenagear os mortos. Hoje os cemitérios estarão lotados de pessoas levando flores e chorando lágrimas sinceras pelos que perderam. Entre elas, os que a violência ceifou, em geral jovens. Muitos sem explicação para a violência que sofreram.

As capas dos jornais populares de hoje no Rio destacam a emoção no enterro de uma criança morta em tiroteio quando criminosos tentaram resgatar um bandido no fórum em Bangu. Um PM também morreu. E todo dia é assim. Tais mortes, quando ganham destaque diante da banalização, é porque servem a usos políticos.

Uma estatística recente mostrou que no Rio há cerca de 6 mil pessoas desaparecidas por ano. Um caso é o do pedreiro Amarildo. Cadê o resto, tirando-se os que fugiram de casa e entraram nas estatísticas como desaparecidos, foram para as ruas e lá foram desaparecidos de vez? Na minha rua todos os dias subiam e desciam gangues de adolescentes na época de domínio do tráfico gritando, chutando portas e lixeiras, ameaçando em nome do domínio territorial do crime. Sumiram todos com a pacificação. O que houve?

Um dia perguntei a um oficial de UPP pelos menores que trabalhavam para o tráfico, e a resposta foi que a maioria não tinha ficha criminal e simplesmente se reintegrou às famílias, buscaram empregos, etc. Segundo o policial, quem fugia era uma minoria já engajada no crime de todas as formas. Fogueteiros, processadores de droga, pipeiros e aviões saíram da vida criminosa, segundo o policial.

O fato é que no Rio é possível a eliminação de pessoas via polícia. Já vi um caso onde drogados foram presos numa casa que tentavam arrombar e o policial sugeriu discretamente ao proprietário : "Sabe como é, cidadão, a gente leva pro batalhão, dá umas porradas, aí tem que soltar porque é de menor, ele volta prá rua, vem na tua casa, pode te fazer mal, isso não adianta muito". Para quem entende a indireta o papo pode evoluir para acerto de preço para "eliminar o mal pela raiz".

A lógica do policial é compartilhada por muita gente na classe média. Circula pelas redes sociais um video de um delegado do Mato Grosso que desabafa contra uma juíza que se negou a deter menores encontrados com armas e drogas. Muitos compartilhamentos, validando o argumento do "nada adianta pela via legal". A juíza também veio a público esclarecer que segue a lei, a jurisprudência e orientações superiores, além de que não há cárceres em condições de acolher menores na região.

Aí a culpa é jogada no Estatuto da Criança e do Adolescente, que seria brando com criminosos menores, e a idéia de baixar a maioridade penal abraçada pelos mesmos que buscam um jeito de se livrar dos infratores. Que por coincidência também defendem o fim do auxílio reclusão e alguns até o uso de presos para experiências científicas, em vez dos animais. Em geral também o fim de todo e qualquer programa de eliminação da pobreza, que não tenha como resultado sete palmos de terra em cima.

Há alguns meses visitava o campo de concentração de Auschwitz, próximo a Cracóvia, na Polônia e a guia mostrava um misto de amargura e ódio enquanto expunha o sistema de escravidão e extermínio montado pelos nazistas. Em um certo momento perguntei reservadamente a ela se havia perdido alguém ali. Respondeu que todos perderam alguém ali, porque qualquer um que levantasse a voz contra o que se fazia ali podia parar lá. Então perguntei se as pessoas sabiam o que acontecia, se o extermínio era algo sabido, e ela respondeu que sim.

Nas cidades próximas tinha gente se beneficiando da expropriação das propriedades dos judeus que eram revendidas aos de maiores posses, em geral colaboradores do nazismo. Secularmente judeus, ciganos e homossexuais eram odiados por toda a Europa. A eles se juntaram os comunistas como público-alvo de escravidão e extermínio. Simplesmente desapareciam das suas vistas para sempre. E muita gente ficava aliviada com isso.

Assim como no Rio. A banalização está nas frases"; "Sumiu o cracudo? Ótimo, nem quero saber que fim levou"; "Caveirão entrou metralhando e matou muitos? Beleza pura, menos uma porção de bandidos"; "Os mortos eram todos traficantes"; "Morreram porque resistiram". Que o dia de Finados sirva não apenas para que cada um chore pelos seus mortos, mas para que todos se lembrem das pessoas que, direta ou indiretamente, contribuem para matar.


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

YOUTROUXA 0053 : Luisa Mell filiou-se ao PMDB antes da "revolta dos Beagles"

Marina Zatz de Camargo é o nome real de Luisa Mell
É inegável que a apresentadora Luisa Mell goste de animais, a partir do programa que tem na TV (Late Show) onde seu carinho parece explícito. É democrático que tenha o desejo de defender as causas difusas dos animais em todos os fóruns, inclusive no Congresso Nacional. É cidadão que promova um protesto denunciando o uso de cobaias e chame gente para isso.

O que é eticamente reprovável é que dias antes do ataque ao Instituto Royal tenha se filiado a um partido político a tempo de candidatar-se em 2014 e isso não tenha sido explicitado sequer aos seus seguidores. Isso não tira a legitimidade do ato de protesto, afinal, todos, candidatos ou não, podem se expressar, mas é importante que todos saibam dessa condição para que não pareça oportunismo eleitoreiro. E para que os parceiros do movimento, como ONGs, veterinários e outros simpatizantes das causas dos animais não colaborem passivamente para a sua promoção pessoal como porta-voz de um movimento e obtenha projeção na mídia, etc.

Será que o ataque ao Instituto Royal foi projetado para lançar sua candidatura? Será que os verdadeiros e sinceros lutadores contra os maus tratos aos animais foram inocentes úteis nisso, e tiveram suas bandeiras aparelhadas para fins político-partidários? E os mascarados, que não devem fazer parte do Black Bloc a não ser que tenham desistido de ser "apartidários", teriam sido usados sem saber do contexto?. Se não eram eles, o que eram então? Uma milícia privada? Teria sido tudo uma jogada de marketing, já que em todo o mundo candidatos identificados com a defesa de animais estão sendo bem votados?

Luisa Mell poderia até ser uma ferramenta importante da luta pela causa animal no Congresso Nacional, mas a forma como se deu o seu possível pré-lançamento deixa dúvidas éticas. As pessoas que se filiam a essas causas, muitas gostam mais de bichos que de gente porque estão desencantadas com as baixezas do ser humano, entre elas a de serem usados por outros humanos para servirem de escada aos seus objetivos. E uma expressiva votação entre os adoradores de animais pode levar de contrabando ao congresso velhas raposas do PMDB, através da legenda. E os que lutam por ética na política seriam feitos de trouxas passivamente.

Até que ponto o movimento pró-animais vai se deixar levar por isso? Pelo contrário, essa possível jogada da apresentadora pode ser um tiro no pé e dar argumentos à defesa do Instituto Royal no episódio como vítima. Acho que Luisa Mell deveria de imediato negar qualquer candidatura para que se desfaça a impressão de estar sendo oportunista e continuar lutando independentemente de política partidária. 

PMDB trai Dilma e quer privatizar Banco Central

Na ânsia por mais cargos no governo federal, o PMDB, maior e mais esquecido partido do país (ninguém fala das bandalheiras dele), através do presidente do senado Renan Calheiros, ameaça colocar em votação o projeto que dá autonomia ao Banco Central. Dilma mandou recado: essa votação significaria o rompimento do PMDB com o governo. 

O que significa esse projeto? Tirar das mãos do governo e da sociedade o controle sobre o organismo que regula as taxas de juros e fiscaliza as operações financeiras. Uma maravilha para os banqueiros, que têm grana suficiente para patrocinar a mídia por seus interesses, o que se dirá para comprar políticos. Até a Folha inventou apoio de a Lula à proposta de autonomia do BACEN. Lula desmentiu
, dizendo que se fosse para dar autonomia ao Banco Central faria no seu governo. Logo virão pressões do Financial Times, Economist e outros que fazem parte das forças aliadas externas dos banqueiros.

A aprovação desse projeto seria o fim das possibilidades de sairmos da servidão que tira R$ 1 bi por ano do orçamento para pagar de tributo aos banqueiros. Desde Lula a dívida do governo vem caindo em relação ao PIB, depois da fartura de gentilezas de FHC aos banqueiros (vide gráficos). Dilma baixou os juros a 2% reais, contra os quase 20% de FHC, e isso provocou a ira dos banqueiros, que fizeram de tudo para derrubá-la.

Fora Renan, fora PMDB e esse bando de mercenários que servem a qualquer governo e sugam o país através de chantagens. Venderam-se ao PFL, ao PSDB, ao PT e não teriam nenhum pudor de fazer parte da base aliada do PSB, Rede, PSTU, PSOL, etc, etc. Contra a privatização do Banco Central. Alô Black Block, alô povo que foi às ruas, alô coxinhas que dizem querer o fim da corrupção: Renan ainda está lá e promete fazer mais estragos!